(Fonte da imagem: Reprodução/Pixabay)

Nos últimos dois anos, o Facebook já pagou cerca de US$ 1 milhão em recompensas a hackers que ajudaram a encontrar falhas e problemas de segurança no sistema da rede social.

Chamado de “Bug Bounty”, a iniciativa convoca comunidades underground de hackers, especialistas em tecnologia e programadores freelancers para trabalharem a favor da companhia. Certamente, alguns deles já cometeram algum tipo de infração no passado, mas agora as empresas de tecnologia como o Facebook, a Google e a Microsoft decidiram tê-los como aliados.

No programa de recompensa, um hacker recebe uma quantia em dinheiro de acordo com a gravidade da falha de segurança que encontra no sistema. Nesses dois anos de “Bug Bounty”, o maior valor pago pelo Facebook foi de US$ 20 mil.

Além disso, uma mesma pessoa ou comunidade pode acusar mais de um defeito do sistema e receber por cada um deles. Por essa razão, alguns especialistas somam mais de US$ 100 mil recebidos pelo programa da empresa de Zuckerberg.

Hackers da companhia

O “Bug Bounty” do Facebook é formado por profissionais de segurança em tecnologia, jovens e estudantes. Entre as recompensas pagas, a empresa disse que já desembolsou uma quantia em dinheiro até para um garoto de 13 anos por denunciar uma falha no sistema da rede social.

Esse tipo de programa mostra o respeito crescente das companhias pelas habilidades de hackers e especialistas em segurança. O “Bug Bounty” tem revelado talentos na área que são rapidamente incorporados pela empresa. O Facebook já contratou duas pessoas que participavam primeiramente do programa de recompensas.

Além disso, a iniciativa fortalece os mecanismos de proteção dos sistemas contra ataques e invasões. Resta saber se o Facebook é vulnerável demais e se vai gastar ainda muito dinheiro pagando para as pessoas procurarem as falhas em sua rede.

Cupons de desconto TecMundo: