O cenário profissional dos video games, também conhecido como eSports, já é responsável por atrair cada vez mais gamers para o mundo das competições. As estimativas das empresas apontam que os eventos competitivos de jogos eletrônicos movimentarão mais de US$ 500 milhões em 2016, o equivalente a mais de R$ 1,7 bilhão. Mas, com tanto dinheiro assim circulando em torno desses torneios, será que o Brasil conta com uma boa representação entre os competidores de alto nível internacional?

Pensando nisso, o TecMundo fez uma apuração no site e-Sports Earnings visando descobrir quais países se destacam mais nas competições globais. Sendo assim, consideramos os 50 games com as maiores premiações desde os primeiros eventos registrados no site (1998). Esta classificação inclui títulos atuais como League of Legends, DotA 2 e Counter-Strike: Global Offensive, mas também relembra os jogos mais antigos, como Age of Empires 2 e a série Quake.

Também consideramos que, dessa forma, podemos ter uma projeção histórica e mais ampla de todos os jogos com grandes competições. Logo após, selecionamos os 10 competidores com as maiores premiações em cada um destes títulos e fizemos uma tabela para mostrar quais são os países mais presentes e congratulados nos torneios mundiais.

Depois de muita pesquisa, você confere os resultados na tabela logo abaixo.

Entre 50 games, o Brasil marcou presença apenas em Age of Empires 2

Os Estados Unidos lideram o ranking sem muitas surpresas. Muitos games contam com campeonatos constantes no país, principalmente pela série Halo e Call of Duty, dois shooters extremamente populares na região norte-americana.

A Coreia do Sul e a China também contam com representantes entre os melhores do mundo, principalmente em MOBAs e nos games de estratégia em tempo real. Enquanto isso, a Europa trouxe competidores de destaque em games dos gêneros mais diversos.

O Brasil tem apenas um representante entre os 50 games mais premiados do mundo. Daniel “RiuT” Lima faturou US$ 12,8 mil (quase R$ 45 mil) em Age of Empires 2, conquistando a nona colocação entre os melhores deste jogo e uma matéria comemorativa desse feito no TecMundo Games.

Apesar de ser o único representante nacional nessa tabela, Daniel é apenas o 32º colocado no ranking dos brasileiros que mais lucraram nas competições de games. Ele fica atrás de vários competidores nacionais de Counter-Strike: Global Offensive, League of Legends e StarCraft II — muito embora estes jogadores nem figurem entre os 20 que mais lucraram em seus respectivos jogos.

Mesmo sem representantes entre os 10 mais premiados, o cenário brasileiro de CS:GO continua conquistando prêmios internacionais

Independente deste quesito, os fãs se orgulham muito da presença constante dos brasileiros da Luminosity Gaming no cenário internacional de CS:GO — inclusive com um jogador homenageado nesse final de semana pela Valve e a conquista do maior prêmio brasileiro nos eSports. Quem sabe, nesse ritmo, eles não mudem essa situação para o cenário nacional?

Você já pensou em trabalhar como um atleta de eSport? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: