Ser um nerd moderno não é uma tarefa fácil. Além de ter que escolher quais dispositivos colocar na mochila (vale a pena levar só o iPhone ou o DS também vai junto pra escola?) e recarregá-los, sempre tem aquele colega que vai encher a paciência só porque você prefere usar o Twitter no intervalo em vez de jogar futebol.

Por mais que os nerds sejam figuras bem aceitas e até mesmo consideradas descoladas em filmes e séries atuais, a vida real não segue a mesma cartilha. Gostar de tecnologia e se vestir diferente quase sempre é sinônimo de provocações constantes, por uma figura que transcende gerações e classes sociais: o bully.

Sempre haverá alguém que, pelos mais diversos motivos, tentará tornar a vida do nerd um inferno. Seja roubando e desligando seu PSP durante uma batalha difícil ou bolando algum apelido constrangedor, essa figura parece peça indispensável na carreira de qualquer geek que se preza.

Felizmente, heróis como Casey Heynes – o popular Zangief Kid – estão aí para mostrar que o contra-ataque é possível. Chega de conviver com a opressão e a vergonha de gostar de quadrinhos e vídeo games. Reunimos neste artigo várias táticas que você pode usar para acabar de vez com as provocações. Elas são garantia de dias mais tranquilos e uma experiência menos traumática no colégio, universidade ou ambiente de trabalho.

Siga exemplos de sucesso

O que Bill Gates e Steve Jobs têm em comum além de serem referências quando o assunto é tecnologia? Além de estilos de vestir que parecem seguir o manual do estereótipo nerd, ambos figuram constantemente entre as listas dos homens mais ricos e influentes do mundo.

Mesmo com todo esse sucesso, esse dois homens assumem suas raízes como esquisitões, e não é difícil pensar em um jovem Bill Gates sendo zoado no colégio por seus óculos gigantes e complexão magrela. Da mesma forma, Jobs devia sofrer com brincadeiras constantes sobre sua mania de se vestir todos os dias com exatamente a mesma roupa.

Não há jeito melhor de se vingar dos valentões do colégio, que tinham todas as garotas e eram convidados para as festas mais legais, do que se tornar mais bem-sucedido que eles. Bastam alguns anos de estudo e uma ideia genial para se tornar um bilionário e ver que todos aqueles que o provocavam estão desesperados para lhe dar mais dinheiro.

Como diz a canção do grupo Seminovos, “o nerd de hoje é o cara rico de amanhã”. Com estudo e umas aulinhas de etiqueta social, até a pessoa mais tímida e retraída consegue se tornar um adulto de sucesso e capaz de deixar pra trás aqueles que fizeram graça de seu jeito estranho e desengonçado no passado.

Gadgets de proteção pessoal

Além de servir como ferramenta para comunicação e diversão, existem muitos aparelhos que podem ajudar a evitar confusões. Exemplo disso é o Teroos, um simpático robô desenvolvido pelo laboratório Anzai-Mab na Universidade de Keio, no Japão.

Colocado no ombro do usuário, assim como um papagaio de pirata, o aparelho vem equipado com câmera, microfone e saídas de som. Com total independência de movimentos, o robô fornece alertas sobre qual o melhor caminho para chegar a um lugar e dá dicas úteis sobre assuntos que vão de alimentos a curiosidades científicas.

Com um desses nos ombros, um nerd pode ficar totalmente alerta às ameaças que o rodeiam e nunca mais ser surpreendido pela chegada repentina de um bully. Além de avisar sobre a aproximação da ameaça, o Teroos também facilita o trabalho de encontrar rotas de fuga e chegar a salvo à sala de aula ou a sua casa.

Proteção garantida pelo DNA

Poucas coisas são mais irritantes do que voltar do intervalo e ver todos seus materiais espalhados pela sala devido à ação de algum engraçadinho. Usar cadeados é uma alternativa válida, mas basta alguém descobrir a senha para que a proteção perca totalmente a validade.

Felizmente, não deve demorar até que a biometria também seja usada nesse tipo de dispositivo. Com um cadeado que só é aberto caso o usuário use suas impressão digitais, o nível de vandalismo e invasão de privacidade deve cair muito.

Robôs cães de guarda

Uma alternativa para quem procura mais proteção pessoal são os robôs hexápodes equipados com câmeras. Com eles, o usuário pode ter controle total sobre o ambiente, verificando de forma discreta as ameaças que lhe aguardam ao virar o próximo corredor.

Disponíveis em diversas cores e modelos, esses pequenos robôs são uma ferramenta bastante útil para o nerd moderno. No pior dos casos, os vídeos gravados por suas câmeras podem servir como evidência para apontar para pais e professores quem costuma iniciar confusões e provocações.

Invente suas próprias ferramentas

A principal vantagem de ser um nerd, além da capacidade de se interessar pelos mais diversos assuntos, é a grande criatividade. Não é à toa que a ficção científica está recheada de elementos fantasiosos que pessoas assim tentam a todo custo tornar realidade.

Então que tal bolar uma jaqueta equipada com campo de força que impede que bolinhas de papel com cuspe grudem em sua superfície? Ou melhor ainda, óculos que, com o pressionar de um botão, acionam uma luz intensa que deixa qualquer bully cego pelo tempo suficiente para encontrar uma rota de fuga.

O limite fica por conta de sua imaginação e dos recursos que tiver à disposição. Porém, se você procura uma solução com características mais definitivas, deve se interessar mais pelas dicas abaixo.

Adquira superpoderes...

Essa é a solução definitiva para os problemas de qualquer nerd. Seja voo, força sobre-humana ou a habilidade de conversar e controlar animais, um superpoder sempre ajuda a acabar com provocações e atrair garotas. Funcionou para o Capitão América, Hulk e Homem-Aranha, logo, não há motivo para que o método não funcione com você.

(Fonte da imagem: Marvel Comics)

Como provam as histórias em quadrinho, ser o último filho de um planeta distante ou descendente de um deus nórdico não é nenhum pré-requisito para se adquirir poderes – embora sejam alternativas bastante atraentes. Adquirir habilidades sobre-humanas é algo fácil para nerds, especialmente aqueles que se dedicam às experiências científicas.

Basta ser picado por uma aranha com a dose certa de radioatividade para começar a soltar teias por aí. Da mesma forma, a exposição direta a raios gama é conhecida por aumentar a força, embora confira uma coloração verde pouco usual para a pele.

Para quem deseja seguir essa opção, vale lembrar que nem todas as consequências são muito boas. Além de ter que gastar um bom tempo combatendo inimigos e evitando que o mundo seja destruído, a taxa de mortalidade de heróis é bastante elevada – porém, isso pode ser interpretado simplesmente como um período de férias prolongadas, já que ninguém fica desaparecido muito tempo no mundo dos quadrinhos.

... Ou vire um supervilão

Caso o caminho do bem se mostre pouco recompensador, sempre é possível aplicar conhecimentos científicos para obter vantagens próprias. E não é preciso ter um laboratório sofisticado para isso, como provou o jovem Eric Jacqmain e seu raio da morte com o poder de 5 mil sóis.

(Fonte da imagem: DC Universe Online)

Outra opção de arma para seu arsenal maligno é o lançador de facões artesanal fabricado por Joerg Sprave. Bastante semelhante a uma besta medieval, o aparelho é capaz de lançar uma faca grande a longas distâncias com uma eficiência mortífera. O problema só fica no processo de recarga trabalhoso, além dos possíveis cortes resultantes de acidentes de trabalho.