"Segura, Bill! Esse Erro 404 tá muito bom!" (Fonte da imagem: Reprodução/Wikimedia Commons)

Quem vê aquela famosa imagem em que Bill Gates e Steve Jobs estão sentados em cadeiras vermelhas, dando risada e conversando sobre assuntos que ninguém jamais saberá — mas que provavelmente são relacionados às fortunas que os dois possuíam à época — não imagina que existem muitas confusões nesse mundo da tecnologia. Pois é, a indústria também possui muitas “tecnotretas”.

Mas quais são as maiores delas? Será que são apenas os CEOs das empresas que brigam em ringues improvisados com placas-mãe e processadores caríssimos? É claro que não —  e na verdade eles nem fazem isso, pois há rumores de que eles usam robôs projetados por engenheiros alienígenas para resolver suas pendengas.

Vamos conhecer agora algumas das brigas mais icônicas do mundo tecnológico. Vale lembrar que todas as histórias citadas aqui são baseadas em rumores que nós ouvimos do carinha que entrega papel higiênico no escritório do andar de cima. Trata-se de uma fonte muito confiável... Pelo menos para o fornecimento de papel higiênico.

Em busca do mais fino

Anos atrás, os jovens de todo o mundo brasileiro sabiam que não havia como encontrar um guerreiro mais forte do que Goku. E isso gerou, inclusive, o surgimento de algumas histórias interessantes que retratavam a “busca pelo mais forte”, que poderia derrotar o herói sayajin. Inspirando-se nessa história, designers de todo o planeta (que assistiam a Dragon Ball quando eram mais novos) decidiram partir “em busca do mais fino”.

Comparação entre Samsung Galaxy S4 e conceito do S6. (Fonte da imagem: Reprodução/Samsung)

E assim nasceu a Primeira Grande Treta do Design Pós-Goku, que os historiadores chamarão de PGTDPG em um futuro próximo, quando forem explicar os motivos para a primeira grande guerra cyberquímica do século XXII. Projetistas de empresas como LG, Samsung, Apple e Sony passam noites e mais noites sem dormir para que consigam reduzir 0,0005 milímetros de seus aparelhos. Quando conseguem, enviam fotos para provocar os concorrentes.

E foi numa dessas que os designers da LG se encontraram com os da Samsung nas ruas de Seul. Foram muitos golpes desferidos naquele dia... A briga durou cerca de 40 ou 50 segundos, até que o primeiro nariz sangrou e todos correram para suas casas para disputar aquela peleja de uma maneira muito mais adulta. É claro que estamos falando de partidas de StarCraft.

Protesto! Recurso! Disputas judiciais e afins

Uma empresa A cria um smartphone muito bacana. A empresa B acha ele legal e cria um similar. A empresa A fica ofendida e entra na justiça, alegando a violação de patentes, pois o aparelho da B possui similaridades que claramente foram “inspiradas” no primeiro modelo descrito. O juiz do tribunal europeu aceita o processo e condena a B a pagar 0,8% do valor dos celulares à A.

Aqui, os juízes ainda não se decidiram (Fonte da imagem: Reprodução/Pixabay)

Não concordando com o resultado da disputa, os advogados da B vão à corte norte-americana para dizer que a empresa A está utilizando uma cor que foi patenteada por um acionista influente. Mais uma vez o juiz concorda com a causa e ordena que a empresa A pague 2,6234% de tudo o que for arrecadado com as vendas daquele primeiro smartphone citado nessa matéria.

Nesse meio tempo, aparece a empresa C, que alega ter desenvolvido o conceito de smartphones e exige que todas as outras fabricantes paguem royalties para ela. Para isso, entra com ações nos tribunais da Ásia Setentrional e quase vence, mas esquece de pagar as taxas de adesão às leis marítimas e perde o processo. Conseguiu entender como funcionam as tretas judiciais? A gente também não!

Executivos que se odeiam

Pode parecer que todos os CEOs de grandes empresas são amigos e formam uma sociedade Illuminati secreta, com reuniões semanais em que jogam sinuca e apostam ações em partidas de pôquer. Mas a grande verdade é que muitos deles se odeiam de verdade. Grandes executivos das maiores empresas do planeta passam mais tempo falando mal uns dos outros do que trabalhando.

"Vamos, executivos! Vamos dominar esse mercado!" (Fonte da imagem: Reprodução/Pixabay)

Um exemplo bem interessante: um certo criador de uma famosa rede social que possui a sexta letra do alfabeto como logo decidiu que faria o seu projeto ser o maior do mundo por um motivo que poucos sabem. Ele não conseguiu convites para o Orkut. Pois é, ele quis muito participar dos primórdios daquele “site de relacionamentos”, mas o seu ex-sócio não mandou o convite para ele.

Está achando que essa história é mentirosa? Então analise novamente os seguintes termos: ex-sócio (que era brasileiro), Orkut, convite, rede social, treta... Agora é só fazer a soma dos fatos na sua própria cabeça para chegar à conclusão que nós chegamos. E isso prova que a maior rede social da atualidade teve início em uma treta sem precedentes causada por um brasileiro.

Flamewar: a treta em que todos participam

A palavra “Fanboy” diz algo para você? Se você gosta de Xbox, certamente você utiliza esse termo para definir os fãs do PlayStation. E os fãs do console da Sony certamente utilizam essa palavra para definir você. E, quando dois fanboys rivais se encontram, surge uma outra palavra que assusta até mesmo os mais poderosos e violentos generais que sobreviveram às guerras clônicas: FLAMEWAR.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Essa treta tecnológica acontece o tempo todo. Não importa onde você esteja. Basta existir uma ínfima quantidade de silício para que todos os envolvidos queiram colocar fogo no mundo. “Essa placa de vídeo é da AMD, é!?”; “Putz! Eu acho que a Intel faz processadores melhores” ; e “O Android é tão superior!” são algumas das frases que podem originar guerras intermináveis. Você já deve ter participado de alguma.

Você tem certeza de que nunca participou de algo assim? Pois lembre-se de que as tecnotretas acontecem quando menos esperamos, e até mesmo aquela briga que você teve com seu amigo na quarta série — após ele dizer que Mortal Kombat nunca seria tão bom quanto Street Fighter — também pode ser considerada uma delas.

.....

Atenção: este artigo faz parte do quadro "Erro 404", publicado semanalmente no Baixaki e Tecmundo com o objetivo de trazer um texto divertido aos leitores do site. Algumas das informações publicadas aqui são fictícias, ou seja, não correspondem à realidade.

Cupons de desconto TecMundo: