Sabe quando você se sente a pior pessoa do mundo ao tentar abrir um vidro de azeitonas e não conseguir? Sabe também quando a situação piora porque seu irmãozinho de três anos encosta na tampa e ela está completamente solta? Pois situações como essa também acontecem no mundo da tecnologia e fazem com que até os mais experts passem vergonha.

Você pode perceber situações desse tipo em várias ocasiões, incluindo aqueles momentos constrangedores em que você precisa provar para a operadora de telefonia que existe um problema com sua conexão, caso contrário a visita será cobrada – quem nunca passou por isso não sabe o que é torcer para que o problema não se resolva sozinho. E há muito mais.

O velho drama do cabo de força

Comprar um novo computador é uma grande tarefa. Você sai da loja com a caixa lacrada e passa todo o caminho entre compra e instalação com aquela sensação de que algo mágico vai acontecer assim que o botão “Power” for pressionado (por falar nisso, você pode saber o que acontece realmente por este link). (Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Até mesmo o cheiro de um computador novo está sendo envolvente, mas o botão é pressionado e nada acontece. “Calma, deve ter algo mal plugado”, você pensa. Plugs USB são novamente encaixados, alguns “assoprões” são dados em direção às portas de conexão e mais uma vez o botão é pressionado. Para a sua surpresa – e desespero –, nenhum sinal de funcionamento.

É nesse momento que começam os calafrios, as tonturas e as brotoejas (e todos os outros efeitos colaterais de algum remédio que acabaram de lançar e ainda está em fase de testes). Você telefona para a assistência técnica e ninguém consegue resolver seu problema, até que você pensa em ir até a loja para trocar, mas é sexta-feira e já está tudo fechado.

Num lapso de loucura, você pensa em guardar tudo novamente na caixa para parar de ver a triste cena do computador inativo. E é na caixa que você encontra um cabo de força e pensa “Por que enviaram dois cabos de força?”. É ali que você percebe que não ligou o computador na tomada. É ali que sua vergonha será eternizada.

“Eu quero minha internet de volta!”

Reunião de amigos, todos comentando sobre um vídeo ao qual só você não assistiu. Ninguém tem bateria suficiente para ligar a internet 3G, então você passa a noite toda esperando pelo momento de chegar em casa e conferir aquela obra épica da cinematografia web. Mas é claro que a nossa amiga Lei de Murphy (sempre ela) vai fazer a sua conexão não funcionar. E então você começa o ritual:

  1. Desconectar;
  2. Reconectar;
  3. Desligar o computador;
  4. Religar o computador;
  5. Desligar o modem;
  6. Desligar o roteador;
  7. Jogar tudo na parede;
  8. Religar o modem;
  9. Religar o roteador;
  10. Ligar para a assistência técnica, que manda fazer tudo isso de volta;
  11. Fazer tudo isso de volta;
  12. Perceber que não deu certo;
  13. Agendar a visita do técnico para até 48 horas.

Como nós dissemos na introdução do texto, você passa todo o tempo de espera (entre o agendamento e a chegada do técnico) torcendo para que o problema não seja resolvido sozinho, pois se isso acontecesse você teria que pagar a visita. Mas a Lei de Murphy volta a agir, ele só reinicia o modem e você fica com cara de pastel de palmito vencido frito em gordura velha de uma lanchonete de beira de estrada do Afeganistão depois da guerra.

Video game da depressão

Apesar de os consoles terem evoluído bastante e agora permitirem que amigos joguem partidas juntos, mas sem precisarem estar no mesmo lugar, ainda há muitas pessoas que preferem se reunir para jogar. E isso gera alguns dos momentos mais constrangedores, principalmente quando o seu controle começa a apresentar alguns probleminhas.

(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

O jogo do dia é FIFA 12 e a partida começa bem equilibrada, até que o seu amigo começa a detonar. Acabou o primeiro tempo e você está perdendo de 29 x 3. É claro que ele ser mais bem preparado e você não ter a mínima ideia do que é a regra do impedimento não tem nada a ver com o resultado, pois você só está perdendo porque seu controle está com um pequeno bug no botão de chute.

Após ouvir sua reclamação, o amigo cede à pressão e troca de controle. O primeiro chute, gol! O segundo chute, gol! Ele sai para tomar um café e deixa você jogando sozinho, mas assim que ele pega a primeira xícara... Gol do Barcelona – e você está com o Real Madrid. “O botão parou de bugar, né!?”. Que tal posar para uma foto para o nosso mural da vergonha?

“Eu juro, amor! Meu celular não tá tocando!”

Garotos com namoradas sabem que elas não gostam de efetuar ligações e ter que esperar mais do que dois toques para serem atendidas. Por isso, todos eles deixam seus aparelhos de prontidão, evitando que exista qualquer demora na resposta às amadas. Só que os celulares nunca funcionam direito quando precisamos, por isso em alguns momentos eles realmente não tocam.

O Instituto Nacional de Pesquisas Sem Sentido Algum afirma que em 84% das vezes isso acontece quando sua namorada quer falar com você porque outro cara acabou de dizer que você estava na balada – a gente sabe que você não estava, mas ele quer você fora do caminho. E, convenhamos, você não atendeu o telefone e ela teve razões para acreditar nisso.

Mas você está quase convencendo a donzela entristecida de que tudo não passa de uma grande confusão. Ela vai acreditar que seu telefone realmente não funciona, mas de repente você ouve um “bzz...bzz”. Ela pergunta: “Que barulho é esse, Otávio Ivo?”. É o seu celular! E é uma garota! Você está envergonhado, supomos!

.....

Atenção: este artigo faz parte do quadro "Erro 404", publicado semanalmente no Baixaki e Tecmundo com o objetivo de trazer um texto divertido aos leitores do site. Algumas das informações publicadas aqui são fictícias, ou seja, não correspondem à realidade.

Ilustrações por: Aline Sentone

Cupons de desconto TecMundo: