(Fonte da imagem: Baixaki/Tecmundo)

Pouca gente sabe disso, mas há várias semelhanças entre os relacionamentos que temos com nossos eletrônicos e os que levamos com namorados, namoradas, maridos e esposas. Você deve estar pensando que a redação do Tecmundo ficou maluca, mas isso não é verdade – não que as pessoas daqui sejam muito normais, mas este texto não deve ser usado como prova.

Logicamente ninguém pode se casar com um computador – se bem que há quem se apaixone por estátuas –, mas esse não é o ponto. O que estamos querendo dizer é que os dois tipos de relacionamentos passam por fases muito semelhantes. E é exatamente isso que vamos mostrar agora mesmo. Está curioso? Então se prepare para saber muito mais sobre sua própria vida.

A arte da conquista

O primeiro olhar na vitrine da loja de informática. As primeiras palavras doces que ouvimos : “processador octa-core; GPU de 1,5 terahertz”. Assim é o processo de conquista que envolve os relacionamentos tecnoamorosos. Da sua parte, é preciso economizar para poder comprar aquela fonte de noivado que ficaria perfeita no gabinete mais incrível que você já viu.

"Eu te amo, humano" (Fonte da imagem: Thinkstock)

Com os computadores, podemos montar o objeto dos desejos da maneira com bem quisermos – e se fizéssemos isso com as garotas, seríamos os mais novos Franksteins do pedaço. Depois que tudo está do jeito desejado, chega a hora de realizar o pedido: “Quer ser minha nova máquina?”... Ter a “Transação aprovada” pelo cartão é o “Aceito” dos tempos modernos.

Namorados enamorados

A limusine e a bela recém-desposada dão lugar para um táxi e uma caixa com a mais preciosa joia da sua vida. O caminho até sua casa é longo e a ansiedade é a maior dos últimos tempos. Tem alguma ideia de algo para fazer para o tempo passar mais rápido? Não adianta... Nada fará essa espera acabar.

Lua de Mel

Há quem diga que o único período em que os casais são realmente felizes é a lua de mel. É lógico que muitas pessoas têm infinitas provas de que isso não é verdade, mas não podemos negar que essa fase merece destaque. Chegar em casa e desembrulhar a embalagem do computador com toda a delicadeza do mundo, ajustando cada peça na mesa como se fosse uma obra de arte feita em porcelana chinesa... Isso é o amor.

Um novo jogo é como ir para o Caribe... Só que não! (Fonte da imagem: iStock)

O botão “liga/desliga” é o primeiro beijo do mais novo casal, que passará por meses de “juras de amor eterno”. Instalar os programas favoritos e realizar o download das músicas que fizeram parte da sua vida funciona como uma experiência maravilhosa: “Estamos cada dia mais apaixonados”, você diz. “As definições de vírus foram atualizadas”, ela responde.

A confortável fase da estabilidade

Passada a paixão tórrida dos primeiros meses, os computadores ainda são tudo o que você sempre quis – em um estágio mais calmo, é claro. Você ainda faz tudo o que precisa com ele, passa horas em seus jogos favoritos e continua conversando com seus amigos sempre que possível. A diferença é que, mesmo sem se esquecer dele, você não conta as horas para voltar para casa.

Esse período do relacionamento é muito tranquilo. Alguns problemas podem até surgir, mas tudo é relevado, pois o amor fala mais alto na sua vida. Para que se irritar com os problemas, se continuar agindo como se nada estivesse acontecendo é mais fácil? Um pequeno travamento enquanto o YouTube carregava um vídeo não vai atrapalhar sua vida, não é mesmo?

Probleminhas começam a crescer

Depois de um tempo, aqueles pequenos problemas que você relevou no começo do relacionamento começam a falar mais alto. Os travamentos deixam de ser irrelevantes e as brigas começam a ficar mais frequentes, o que faz você procurar outras formas de se divertir, não necessariamente dentro de casa.

Você pensa: “Uma pequena escapada até a lan house ou uma partida no video game dos amigos não fazem mal para ninguém”. Mas antes você não cogitaria estar longe da sua máquina favorita. Será que o amor está diminuindo? Os problemas podem ser cruéis para os relacionamentos mais estáveis."Não acredito que você foi naquela lan" (Fonte da imagem: iStock)

Terapia de casal

Se os problemas falam alto, é hora de conversar para rever a situação em que você está. Nem sempre é possível resolver apenas no diálogo, por isso existem tantos psicólogos especializados em terapias de casal. Com seu computador, talvez não seja possível ir a um psicanalista – ainda mais porque, caso você vá, ele irá recomendar internamento imediato –, mas você pode rever suas ações.

“Será que eu fui um bom dono? Eu fiz a manutenção do jeito que deveria?”. Na grande maioria das vezes, os computadores só passam a nos tratar mal porque nós fizemos o mesmo com eles antes. Mas ainda há solução... “Vamos conversar? Que tal a gente começar de novo?”. Aí vem a primeira formatação.

Quando a solução é não tentar solucionar

Seus avós ficaram com as mesmas vitrolas por décadas. Seus pais passaram anos com o mesmo televisor. Você não aguenta ficar seis meses com o mesmo computador. Não se sinta culpado, os jovens de hoje são assim mesmo. É igual ao que acontece com os namoros: as brigas (bugs) ficam mais frequentes, conversar (manutenção) não adianta, tentar de novo (formatar) também não. Talvez seja hora de se separar.

(Fonte da imagem: Thinkstock)

E quando isso acontece, vem o período de luto. Até que de repente... O primeiro olhar na vitrine da loja de informática. As primeiras palavras doces que ouvimos (“processador octa-core Turbo; GPU de 2,2 terahertz”)...

.....

Atenção: este artigo faz parte do quadro "Erro 404", publicado semanalmente no Baixaki e Tecmundo com o objetivo de trazer um texto divertido aos leitores do site. Algumas das informações publicadas aqui são fictícias, ou seja, não correspondem à realidade.

Cupons de desconto TecMundo: