Que o nosso planeta está ficando saturado de seres humanos não é segredo para ninguém. Há pouquíssimo tempo, atingimos a marca de 7 bilhões de pessoas no mundo. Apesar de territorialmente esse número não ser tão grande, é nítida a sensação de que os grandes centros urbanos estão cada vez mais cheios: o trânsito está caótico e pegamos fila para fazer qualquer coisa – seja ir ao cinema, pegar ônibus ou o simples fato de comprar pão para o café da tarde.

É nesses momentos que muitas pessoas desejam estar em um lugar sem tanto aperto. Que tal a Lua? Viajar pelo espaço foi apenas um sonho durante muitas décadas. Contudo, com a ajuda da tecnologia, o nosso satélite natural já passou a ser encarado como uma alternativa para a expansão populacional e, consequentemente, de negócios.

Bugigangas de outro mundo

O chamado turismo espacial começa a se tornar realidade. Pode até parecer mentira, mas você já pode conhecer o espaço pela bagatela de US$ 20 milhões. Embora viajar para fora do planeta ainda não seja acessível para o bolso de todos, qualquer pessoa pode planejar suas férias na Lua.

Eis que surge a primeira necessidade empresarial na superfície lunar. Como em toda boa viagem, você não pode voltar para casa sem lembrancinhas. Com certeza, assim que você avisar que está deixando a esfera terrestre, suas tias, avós e amigos pedirão presentes.

(Fonte da imagem: Punkstein Rockstore)

Por isso, as chamadas lojas de R$ 1,99 são essenciais em nosso satélite natural. Assim, você gasta pouco em um monte de bugigangas (como chaveiros de extraterrestres, cartões-postais da Lua e bonequinhos de astronautas) para distribuir entre seus conhecidos. Além disso, potes plásticos são sempre úteis para guardar comida, seja lá onde você estiver.

Frag night na Lua

O espaço é retratado em uma infinidade de games. E já que estaremos por lá, nada melhor do que aproveitar o cenário do lado de fora da janela e participar de um frag night estourando a cabeça de alienígenas, digo, outros jogadores. Para que essa jogatina seja viável, a presença de lan houses é fundamental.

Chame seus amigos e monte sua equipe para encarar muitos tiros, explosões e pancadaria sem limites nos mais populares títulos de FPS, como Halo, Doom e até mesmo Counter-Strike. Então, se você ainda não está familiarizado com esse gênero de games, é bom começar a treinar.

Já imaginou a realização da DreamHack (encontro que é considerado a maior lan house do mundo) diretamente da Lua? Os duelos intergalácticos serão de tirar o fôlego – e não será a falta de oxigênio a responsável por isso. Esses estabelecimentos ainda podem ajudá-lo a se comunicar com quem ficou na Terra. Afinal, não importa onde você esteja, sua mãe sempre vai querer saber como você está.

Hora de fazer uma boquinha

Dizem que uma das melhores coisas na vida é comer. Contudo, preparar um prato saboroso muitas vezes não é nada cômodo. Talvez, esse seja o motivo de as redes de fast food fazerem tanto sucesso. E, assim como aqui na Terra, é bem possível que na Lua você também tenha preguiça ou pouco tempo para fazer o seu almoço todo dia.

Você sai do trabalho, termina uma partida de golfe (crateras não faltam para você acertar por lá) ou simplesmente acorda tarde no domingo e sente o seu estômago se manifestar. Nesse momento, seu cérebro envia uma mensagem: é hora de fazer uma boquinha.

Nessa situação, a melhor pedida é passar em uma das filiais do Burger King, Subway ou McDonald’s, comprar o maior lanche do cardápio e um copo de Coca-Cola (abandone a versão “zero”) tamanho família. Se você já está calculando as calorias, relaxa! Não esqueça que na Lua a gravidade é baixíssima – o que significa que você não sentirá a interferência do sobrepeso na sua rotina.

Academia sem esforço

Tudo bem, comer apenas lanches não é um rotina saudável e pode ocasionar sérios problemas de saúde. Se por um lado a falta de gravidade pode estimular as pessoas a se alimentarem em excesso, em outra perspectiva a possibilidade de realizar movimentos sem qualquer esforço é um empurrão para a prática de exercícios físicos e esportes.

Portanto, esse é um ramo com grande potencial na superfície lunar. Aulas de spinning, step e body combat deixarão de ser um martírio na vida dos frequentadores das academias. Porém, tome cuidado com as sessões de jump, pois um salto mais empolgado pode levar você a vagar eternamente pelo universo.

Aproveitando que estamos falando em movimentar o corpo, dançar é uma atividade extremamente divertida. Contudo, para fazer sucesso na Lua, você terá que aprender um dos passos épicos lançados pelo rei do pop, o “moonwalker”. Portanto, não perca tempo: arraste o sofá da sala e comece a treinar a leve caminhada para trás.

Outdoor espacial

Em noite de Lua cheia, é quase impossível não dar uma olhada na beleza do luar. E se alguma coisa é capaz de chamar a atenção de milhões de pessoas, ela é um prato-cheio para que os publicitários explorem seu potencial comercial. Qualquer espaço é suficiente para divulgar grandes marcas.

Com o maior astro dos céus estrelados não seria diferente. Sem dúvida, empresas de marketing invadiriam o satélite natural da Terra para fazer dele um enorme outdoor. Assim, não estranhe ver o logotipo da cerveja Blue Moon estampado no luar enquanto passeia com a sua namorada.

Ela não poderia faltar

Existe uma empresa que já demonstrou que deseja muito estar na Lua. A Google possui alguns projetos bem ousados que explicitam o seu grande interesse em garantir seu espaço no satélite natural do globo terrestre.

A gigante de Mountain View lançou uma competição chamada Lunar X Prize. Para levar o prêmio de US$ 30 milhões oferecidos, você precisa apenas criar um robô, enviá-lo até a superfície lunar e fazer com que ele se locomova por 500 metros, enviando vídeos em tempo real para a Terra. E aí, caro leitor, topa o desafio?

Enquanto não podemos viajar pelo espaço, a Google leva os usuários do Earth para dar uma voltinha na Lua, Marte e entre as estrelas. Você não está acreditando? Então clique aqui e saiba como fazer para usufruir dessa funcionalidade.

.....

Atenção: este artigo faz parte do quadro "Erro 404", publicado semanalmente no Baixaki e Tecmundo com o objetivo de trazer um texto divertido aos leitores do site. Algumas das informações publicadas aqui são fictícias, ou seja, não remetem à realidade.

Cupons de desconto TecMundo: