Projeto da Unilever prevê autonomia de 40% na produção de energia
Fonte da imagem: Divulgação / Unilever

A maior produtora de sorvetes do mundo está trabalhando duro para diminuir a emissão de gás carbono em suas fábricas. Dona de marcas como Kibon (Brasil), Ben & Jerry’s (Estados Unidos) e Algida e Wall’s (Europa), a Unilever anunciou a construção de um biodigestor em uma de suas sedes na Holanda.

O objetivo é transformar restos da produção de sorvete em energia. A construção do biodigestor está sendo feita em parceria com um produtor de água e sistemas de purificação. O aparelho vai gerar biogás a partir de resíduos como nata, proteínas, leite, frutas e xaropes utilizados na fabricação de suas guloseimas.

A tecnologia deve entrar em operação na segunda metade deste ano e será responsável em produzir cerca de 40% da energia elétrica consumida na fábrica em que está sendo instalada. O legal é que além de produzir parte da energia, o biodigestor também filtra a água dos resíduos produzidos pela empresa, tais como gorduras, óleos e outros sólidos biodegradáveis.

O reator do aparelho é composto por 24 quatrilhões de microorganismos, os quais são responsáveis em ingerir os resíduos e liberá-los em forma biogás. Uma ótima maneira de resolver o problema de detritos que poluem e inutilizam a água para consumo.

Detentora da liderança no setor de Alimentos e Bebidas dos Índices de Sustentabilidade Dow Jones por 12 anos consecutivos, a Unilever já havia anunciado planos audaciosos e metas agressivas para ajudar o meio ambiente. Ao que parece, as ideias estão saindo do papel e começando a tomar forma.

Cupons de desconto TecMundo: