Painéis solares posicionados de forma inteligente são mais eficientes (Fonte da imagem: Reprodução/MIT)

O MIT vem realizando descobertas muito interessantes no que diz respeito à captação de energia solar. Em seus mais recentes estudos, o instituto parece ter encontrado uma maneira mais eficiente de captar e aproveitar esse tipo renovável de energia.

Um time de pesquisadores do Massachusetts Institute of Technology construiu cubos e torres com painéis solares que se expandem e são capazes de tomar formas diferentes em uma espécie de configuração em três dimensões.

Por meio desse posicionamento é possível obter a luz solar com mais eficiência, uma vez que os painéis captam os raios mesmo quando o sol ainda está nascendo e se encontra perto do horizonte ou, então, quando o astro já não mostra a mesma força no entardecer. Além disso, o desempenho também é melhor quando o céu encontra-se encoberto e em dias com muitas nuvens.

Para chegar à maneira ideal de posicionar as placas, os pesquisadores computaram algoritmos muito avançados e testaram tudo (mesmo que teoricamente e de forma simulada) em várias situações, como diferentes latitudes e estações do ano. Após os estudos, três modelos de torres foram construídas e colocadas no telhado dos laboratórios.

Segundo o MIT, os resultados obtidos (dessa vez em testes reais) foram muito satisfatórios e a geração de energia alcançou números bastante expressivos. Os painéis em 3D mostraram eficiência entre duas e vinte vezes maior do que os normais.

Além disso, um desempenho melhor também foi identificado na distribuição dessa energia, uma vez que a potência obtida foi transferida de maneira mais uniforme e confiável – o que torna possível uma melhor integração dos painéis solares às “redes normais” de energia.