(Fonte da imagem: Divulgação Physorg)

Um novo tipo de bateria orgânica demonstrada pela Sony poderia acabar de vez com a necessidade de metais pesados nos dispositivos de armazenamento de energia no futuro. O aparelho esteve no stand da empresa japonesa na feira Eco-Products, que aconteceu entre os dias 15 e 17 de dezembro em Tokio, e usa uma mistura de água, papel e enzimas para produzir eletricidade.

“Este é o mesmo mecanismo usado pelos cupins para produzir energia a partir da madeira que comem”, explica o agente de relações públicas Chisato Kitsukawa ao site Physorg. As enzimas no composto líquido são usadas para quebrar as cadeias de celulose do papel, que mais tarde são processadas para fornecer íons de hidrogênio e elétrons.

O dispositivo, que ainda está em fase experimental, faz parte do projeto da Sony de produzir baterias orgânicas baseadas em açúcares. Atualmente, a bateria biológica já produz energia suficiente para girar um pequeno ventilador, mas ainda está muito longe de poder alimentar outros eletrônicos mais complexos, como notebooks e celulares.