Ainda que a sustentabilidade e as mudanças climáticas sejam assuntos importantes e em pauta há décadas, nem todos os países concordam sobre as medidas a serem tomadas para suavizar o impacto da humanidade no planeta. Enquanto os EUA saem de um dos maiores acordos do ramo depois da decisão tomada por Donald Trump, a Índia vai pelo caminho contrário e mostra o que é possível fazer quando há um foco nas soluções de energia verde.

Em um anúncio feito na semana passada, o governo local explicou que todos os 12 grandes portos do país serão alimentados 100% por fontes de energia renováveis – mais especificamente instalações eólicas e solares. A ideia é que, até 2019, o sistema consiga gerar cerca de 200 megawatts de energia para as docas, com esse número podendo saltar para até 500 megawatts nos anos seguintes.

Os portos do país devem aderir ao verde muito em breve

Desse montante a expectativa é que 75% de toda a alimentação seja feita por painéis solares, enquanto o restante deve se originar em um parque eólico instalado na costa do país. “Esses projetos de energia renovável vai ajudar na redução da emissão de carbono e levar a melhorias ambientais em torno dos portos”, analisou o governo indiano ao comentar o assunto.

O custo dessas mudanças não é nada baixo

O fato de os portos da região serem financeiramente autossustentáveis ajuda bastante na implementação dessa empreitada. Isso porque, como já era de se imaginar, o custo das mudanças na infraestrutura litorânea não é nada baixo. Estimativas iniciais sugerem que a brincadeira não deve sair por menos de US$ 77,6 milhões (cerca de R$ 255,8 milhões) aos cofres públicos. A vantagem é que, uma vez que o novo sistema estiver no ar, será possível economizar uma cifra considerável nos gastos feitos junto à rede elétrica convencional.

E aí, será que veremos outros países seguindo os mesmos passos em breve ou essa é uma realidade distante para a maioria de nós?