A energia eólica é uma das energias mais limpas conhecidas até o momento, porém, além de cara, ela tem um grande problema com o armazenamento do excesso de energia produzido. No entanto, parece que um inventor britânico encontrou uma solução para burlar esse empecilho.

Peter Dearman criou o Liquid Air Storage (Armazenamento de Ar Líquido, em tradução livre), que usa um sistema de liquefação do ar para facilitar o seu armazenamento. Dearman, que é um inventor de garagem, criou até mesmo uma empresa para fazer uma parceria com o governo do Reino Unido, a Highview Power Storage (HPS), e desenvolver melhor o seu produto.

O método da HPS consiste em usar resfriadores que sugam o ar ambiente, além de remover todo o CO2 e o vapor d’água nele existente. O gás restante, composto majoritariamente por nitrogênio, é congelado a -190 °C, temperatura capaz de devolver o estado líquido ao nitrogênio.

É nesse ponto que acontece o “sequestro” da energia do material, que passa a ser armazenado em frascos térmicos especialmente isolados. Esse processo permite transformar 700 litros de ar gasoso em 1 litro de ar líquido, poupando bastante espaço e mantendo o potencial energético da substância.

Aquecimento = energia

Quando chegar a hora de usá-los, os frascos com ar líquido são acoplados em turbinas especiais e então abertos. O seu conteúdo é rapidamente aquecido, gerando pressão suficiente para mover as turbinas.

O sistema permite ainda o controle do calor aplicado ao processo de aquecimento, garantindo acesso rápido e simples a todo o processo. A estimativa da HPS é de que seu sistema consiga produzir 1 kilowatt de energia a menos de US$ 1 mil, valor que representa o custo médio da mesma quantidade de energia eólica.

Fontes: Highview Power Storage, Liquid Air Energy, BBC