O Japão é conhecido por seu poder de reinvenção. Mesmo após catástrofes, o país é capaz de dar a volta por cima e encontrar soluções rapidamente — tanto para reduzir os danos causados quanto para impedir problemas similares no futuro.

E também há vários relatos de invenções japonesas que tentam tirar proveito de situações que fogem ao controle humano. Um desses exemplos está no novo protótipo de "usina eólica de tufões" que acaba de ser apresentado pelo inventor Atsushi Shimizu.

De acordo com um anúncio realizado por ele, suas novas turbinas podem ser capazes de gerar energia elétrica para 50 anos com os ventos de um tufão — deixando claro que isso demanda o uso de várias turbinas em conjunto em uma usina, não apenas uma delas. Isso mesmo: 50 anos de energia básica garantida.

Qual a diferença?

Uma das grandes diferenças das "turbinas de tufão" em relação aos cataventos eólicos tradicionais está em seu design. Este novo projeto trabalha com eixos omnidirecionais e isso permite que as máquinas continuem em pleno funcionamento, mesmo após mudanças bruscas e padrões não previsíveis de ventos. 

Além disso, a velocidade das lâminas pode ser ajustada para impedir que elas comecem a girar sem controle. Em testes já realizados, a turbina apresentou eficiência de 30% — 10% a menos do que cataventos. Mesmo com essa desvantagem, há o lado positivo que é a "sobrevivência" em tufões.

Apesar de ter apenas 30% de eficiência, as turbinas de tufões podem sobreviver a condições bem adversas

Vale lembrar que o Japão é afetado por vários tufões todos os anos  — somente em 2016 já foram seis deles. Com isso, fica fácil entender porque Shimizu pensou neste projeto. O que ainda não fica claro é como as usinas podem manter a energia salva por 50 anos — como ela será canalizada e se isso vai acontecer com baterias, por exemplo.

Será que é realmente possível criar uma usina eólica capaz de gerar energia com tanta eficiência?