A produtora de games para celular Zynga anunciou uma reestruturação que prevê um corte de 364 funcionários, ou seja, 18% do quadro de empregados. A ação faz parte da tentativa da companhia de economizar US$ 100 milhões por ano.

"Para o nosso pessoal, precisamos criar uma cultura competitiva e de iniciativa que promova mais criatividade e inovação", afirmou Mark Pincus, cofundador da Zynga e atual executivo-chefe, posto que assumiu com a saída de Don Mattrick.

"Com o passar dos anos, temos visto que times mais enxutos e ágeis podem impulsionar a inovação mais rapidamente e entregar mais valor ao jogador", continua. O executivo disse que as demissões foram "uma dura e necessária decisão", mas que o plano coloca a empresa em uma posição melhor a longo prazo.

Balanço em baixa

A companhia anunciou uma arrecadação de US$ 183 milhões (R$ 556 milhões) no primeiro trimestre do ano, uma alta de 9% em relação ao mesmo período de 2014. US$ 148 milhões (R$ 450 milhões) vieram dos jogos e US$ 35 milhões (R$ 106 milhões) de anúncios. O prejuízo líquido foi de US$ 46 milhões (R$ 140 milhões), contra os US$ 61 milhões (R$ 194 milhões) do ano anterior.

A Zynga pretende lançar de seis a oito jogos em 2015 e vai se concentrar em cinco categorias: ação e estratégia (como Empires & Allies), cassino social (Hit it Rich), investimento e expressão (FarmVille), casual (Words with Friends) e corrida (CSR Racing).

Para o segundo trimestre do ano, a companhia prevê arrecadação de US$ 175 a US$ 190 milhões (R$ 532 milhões a R$ 577 milhões) e prejuízo líquido de US$ 54 milhões a US$ 50 milhões (R$ 164 milhões a R$ 152 milhões).

Via BJ

Cupons de desconto TecMundo: