Com o app, o professor pode desabilitar certas funções dependendo da hora do dia.
(Fonte da imagem: Reprodução/Korea Joongand Daily)

Nem parece o mesmo país: enquanto a Coreia do Sul avança no reconhecimento dos e-sports em ambiente universitário, ela também estuda e testa aplicativos que bloqueiam o smartphone de alunos de colégios da região.

O responsável pela trava é o iSmartKeeper, um aplicativo de controle remoto para Android que restringe o uso de aplicativos e funções de um celular. A ideia das autoridades sul-coreanas é diminuir a distração dos estudante durante as aulas, além de incentivar apenas o uso de serviços educacionais em sala.

São seis possibilidades de controle: desabilitar o aparelho, congelar o uso de apps, permitir que só algumas ferramentas funcionem, liberar chamadas de emergência, só chamadas em geral ou todas as ligações e mensagens de texto.

Controle completo

O aplicativo já foi testado em cerca de 11 escolas da capital Seul, mas nem todas as instituições aprovaram o serviço. Algumas recusaram porque os alunos já trabalhavam até em modificações nos celulares para burlar o bloqueio. Outras receberam reclamações de que a trava não valia apenas para dentro dos muros da escola, deixando o smartphone inutilizável por horas na própria casa do aluno.

E as polêmicas vão além: a ferramenta vale só para os celulares com Android. Eles são maioria no país, mas estudantes com aparelhos iOS ou Windows Phone não teriam nenhum tipo de trava. Uma das províncias da Coreia do Sul que pretende implementar o iSmartKeeper afirma que mais de 670 escolas da região devem adotar o aplicativo.

Cupons de desconto TecMundo: