Na manhã desta terça-feira (22), a cotação do dólar atingiu pela primeira vez a merca de R$ 4. Segundo especialistas do mercado, o aumento na cotação se deu em virtude às preocupações dos investidores com relação às contas públicas brasileiras e uma eventual perda do selo de bom pagador por uma segunda agência de classificação de risco.

Certamente, para quem está pretendendo viajar para o exterior ou importar algum tipo de produto – especialmente eletrônicos – esse talvez seja o pior momento para aquisição. A alta da moeda norte-americana pode inviabilizar as compras lá fora e, por conta disso, é importante ficar muito atento antes de adquirir qualquer coisa.

Será que com o dólar neste patamar vale mais a pena comprar eletrônicos no Brasil? Isso é que nós vamos conferir agora. Na tabela acima, listamos alguns itens que frequentemente estão entre os mais procurados pelos brasileiros. Veja como está a situação de quem compra lá fora.

Ainda vale a pena?

Note que, na maioria dos casos, o valor em conversão direta é ligeiramente menor do que o valor de venda do produto no Brasil. Entretanto, é preciso levar em consideração que as compras feitas nos Estados Unidos, em geral, têm um acréscimo de 8% no valor final. Some a isso o imposto de importação cobrado pelo governo brasileiro - que pode chegar a até 60% do valor do eletrônico.

Quem compra o produto lá fora fica livre de pagar os custos do frete, mas quem importa algo para o Brasil precisa arcar com mais essa despesa. Dessa forma, ao menos por enquanto, fazer compras em dólar não é um bom negócio.

Cupons de desconto TecMundo: