Resolução de tela Full HD, Blu-ray player e cabo de transmissão HDMI. O cenário parece perfeito para que você assista ao seu filme favorito com a melhor qualidade de imagem possível, não é mesmo? Porém, ao colocar o disco azul para rodar, você se depara com uma imagem aquém do que você esperava.

Pois saiba que o fato de o vídeo não atingir a qualidade máxima pode não ser exatamente culpa do seu equipamento. Fatores como a taxa de transmissão e a taxa de transferência de dados são capazes de influenciar diretamente no resultado final da imagem exibida na tela. Mesmo entre DVDs e Blu-rays originais a diferença de qualidade chega a ser significativa.

Mas como identificar a fonte do problema? Para isso, antes de tudo é preciso entender o significado de termos como Bit Rate (bits) e Volume de Dados (Bytes), como eles são calculados e como afetam diretamente a qualidade da imagem a que você vê.

Que tal checar a qualidade de imagem dos seus DVDs?

Bit Rate, a taxa de transmissão

O primeiro elemento que deve ser analisado é o Bit Rate ou taxa de transmissão. Quando assistimos a um DVD ou Blu-ray, seja no computador ou em um player, as informações do arquivo gravado na mídia são lidas e interpretadas pelo computador. A velocidade com que essas informações são lidas é chamada de taxa de transmissão.

Essa leitura não é feita diretamente na mídia. Os processadores “copiam” pequenos pacotes de arquivos que são lidos, interpretados e exibidos, para em seguida serem apagados da memória temporária. Quanto maior for a velocidade com que esse processo ocorre, melhor será a taxa de transmissão de um arquivo.

As taxas de transmissão são mensuradas em bits por segundo (Kbps) e é aqui que muitos fazem confusão. Há diferença entre Kilobytes e Kilobits. Por convenção, 1 Kilobyte por segundo (KBps) é igual a 8 Kilobits por segundo (Kbps).

A taxa de Bit Rate pode ser mensurada com programas específicos

Essas informações são configuradas durante o processo de autoração de uma mídia. Muitas vezes, para incluir mais dados em um único disco, as taxas de transmissão são baixadas, diminuindo a velocidade com que essa imagem é transferida e, também, a qualidade final do que é apresentado para o consumidor.

A taxa média ideal para DVDs fica em torno de 7 a 9 Megabits por segundo (Mb/s). Porém é comum encontrarmos no mercado discos autorados com taxas inferiores a essa, como 5 ou 6 Mb/s. Já no caso dos Blu-rays a taxa média de transmissão deve ficar acima dos 30 Mb/s.

Taxa de transferência

Assim como a taxa de transmissão mede a velocidade com que os dados são transpostos da mídia para o player ou para o computador, a taxa de transferência é responsável por mensurar o volume de dados transmitidos por segundo. Para essa medida é utilizado o Kilobyte (KBps).

Neste caso, vale a mesma regra: quanto maior o volume possível de dados transmitidos em um segundo, maior será a qualidade final da imagem apresentada. Muitos fatores influenciam diretamente neste quesito, desde o cabo de transmissão, passando pela qualidade da mídia até a tecnologia que o player disponibiliza.

Um exemplo: além de possuir uma TV com resolução de tela Full HD, utilizar um cabo HDMI é fundamental. No caso de imagens em Blu-ray é recomendável que o player possua o firmware mais atualizado possível. Por isso sempre é recomendável verificar se o seu aparelho permite conexão com a internet, para que você atualize o software quando preciso.

Quanto maior a taxa de trsnaferência, melhor a qualidade

A qualidade da mídia é outro fato a ser analisado. Sabe quando você vai comprar DVDs-R e encontra na loja produtos de diversos preços? Essa diferenciação não é por acaso. Algumas mídias são compostas com mais camadas de proteção e materiais de melhor qualidade. Por isso custam mais caro.

Da mesma forma o tipo de gravação, bem como a fonte da imagem, influencia diretamente na qualidade final do produto. De nada adianta pegar um arquivo de baixa qualidade e tentar otimizá-lo para uma qualidade profissional. Por consequência um arquivo de alta qualidade gravado em uma mídia de baixa qualidade ou com as configurações incorretas de autoração também não traz bons efeitos.

Como descobrir se a qualidade de um produto é a ideal?

Existem várias maneiras de identificar a qualidade de um produto. Colecionadores de DVDs e Blu-rays mais experientes, por exemplo, além de programas específicos para calcular a taxa de Bit Rate disponibilizam essas informações em diversos fóruns e sites.

Um caso recente que repercutiu no mercado de home vídeo norte-americano foi o lançamento da trilogia O Senhor dos Anéis em Blu-ray. O produto foi disponibilizado em pré-venda na Amazon e, antes mesmo do seu lançamento, recebeu mais de 90% de críticas negativas por parte dos usuários.

Qualidade do produto em Blu-ray deve ser bem superior a do DVD para valer a pena.

Isso aconteceu graças a algumas imagens de capturas de tela que vazaram antes do lançamento e podem ser visualizadas em serviços como o Compare Screenshots. O site permite que usuários postem imagens similares para fins de comparação e nesse caso, algumas imagens apontaram que a qualidade de imagem do Blu-ray ficou aquém até mesmo do material exibido em HDTV.

Além de fóruns e sites específicos é possível verificar a qualidade de imagem de um produto utilizando programas complementares. No caso dos DVDs, por exemplo, dois deles auxiliam o usuário na hora de realizar testes de Bit Rate.

DVD Bit Rate Viewer

O aplicativo permite calcular de maneira simples o Bit Rate médio de um DVD. O DVD Bit Rate Viewer é extremamente leve e não requer instalação. Com um DVD inserido no drive, basta iniciar o programa e selecionar a opção “Scan DVD”, na guia “File”.

Um gráfico será exibido mostrando o gráfico de Bit Rate do vídeo em questão. Note que há uma oscilação, uma vez que estes valores não são contínuos. Por isso é utilizado o valor médio como referência, uma vez que podem existir picos acima ou abaixo da média esperada.

Gráficos de Bit Rate de um DVD de baixa qualidade

Bitrate Calculator

Embora programas profissionais de edição de vídeos disponibilizem opções de configuração de Bit Rate, é possível calcular o resultado final de um produto ou mesmo, a partir dos dados obtidos em um teste, fazer o processo inverso e entender como o arquivo talvez tenha sido configurado.

O Bitrate Calculator disponibiliza diversos campos de dados como tempo de duração do vídeo, tamanho de arquivo, bits por segundo e Bit Rate de áudio. O resultado exibido é bastante próximo ao obtido na prática e, com isso, é possível ter uma noção da qualidade do ponto de vista técnico.

Screenshot Comparison

Se você é um usuário exigente e antes de adquirir um produto em Blu-ray gostaria de se certificar da qualidade de imagem que ele oferece, uma alternativa é visitar fóruns sobre o tema ou checar comentários sobre as edições em sites especializados.

O Screenshot Comparison, por exemplo, disponibiliza uma série de imagens e comparações postadas pelos próprios usuários. Para utilizar o serviço basta digitar o título da produção (em inglês) no campo de busca. A imagem dupla é gerada e, na parte superior, são identificadas as fontes.

Para alternar entre uma e outra basta colocar ou tirar o mouse de cima da imagem. Caso queira é possível também postar suas próprias imagens (não apenas relacionadas a DVDs e Blu-rays). No entanto esse não é o foco do serviço.

Preciosismo demais ou direto à qualidade?

Para muitos usuários que assistem a filmes apenas por lazer ficar atento a detalhes mínimos, como imagens granuladas, desfocadas, tons de cores alterados ou mesmo uma qualidade de imagem levemente inferior pode parecer um excesso de preciosismo. Afinal, se é preciso até mesmo de um programa para se certificar que a qualidade não está correta, é bem provável que a olho nu isso não se torne um incômodo.

Exigir produtos com boa qualidade de imagem é um direito do consumidor.

Por outro lado, para aqueles que investem em qualidade de imagem e áudio qualquer mínimo detalhe que não esteja dentro dos conformes pode incomodar. Por isso, nada mais justo do que saber exatamente o que você está comprando e conseguir identificar em que lugar está o problema, caso ele exista.

Vale lembrar que em todos os casos é recomendável testar uma mídia com as configurações ideais de exibição. Isso inclui uma TV com resolução de tela Full HD, cabos HDMI para conexão e um player de Blu-ray com o firmware atualizado.

Procure respeitar também a distância mínima recomendada do aparelho de TV bem como ficar de olho na iluminação do ambiente. O Baixaki já abordou o assunto no artigo “Como fazer para calibrar uma televisão?”.

Você conhecia as especificações de taxa de transmissão e taxa de transferência para arquivos de áudio? Este artigo esclareceu as suas dúvidas sobre o assunto? Participe enriquecendo ainda mais a discussão deixando a sua opinião nos comentários.

Cupons de desconto TecMundo: