Não é difícil ouvir falar de pessoas utilizando drones para ações que não são muito legais, entre elas espionagem. Entretanto, um sistema que está em teste nos Estados Unidos, no Reino Unido e na França promete mudar esse cenário e proteger espaços restritos, governamentais ou particulares, ao “congelar” os objetos voadores. 

Desenvolvido por três companhias do Reino Unido, o Anti-UAV Defense System (AUDS, para encurtar) possui um componente para detectar os drones que estão em uma área de até 8 quilômetros e disparar ondas de rádio para interceptar a ligação entre o objeto e o seu sistema de comunicação. Vale mencionar, isso não é capaz de destruir o drone. 

“E de onde vem a questão de congelar”, você pode se perguntar. A resposta é que, ao entrar em contato com as ondas do sistema de defesa, o drone fica confuso sem saber para onde ir e acaba parando no ar. Caso queira, aquele que estiver no comando do AUDS pode manter o “intruso” voando até que fique sem bateria e caia no solo. 

Outro detalhe mencionado é que, de acordo com os fabricantes, todo o processo (da detecção ao "congelamento") leva 25 segundos para acontecer.

Você acha que os drones serão usados em guerras em breve, como vimos nos jogos recentes de Call of Duty? Comente no Fórum do TecMundo

Cupons de desconto TecMundo: