Drones são aparelhos simplesmente incríveis. Eles são ágeis, fáceis de controlar, estão prontos para as mais variadas funções, conseguem voar a incríveis alturas e explorar diversos lugares... Pelos 20 minutos de bateria que eles suportam. Felizmente, esses robôs têm evoluído rapidamente desde que chegaram ao mercado, e o próximo passo do processo pode muito bem ser na direção de uma maior autonomia de voo.

A solução para isso estaria em um novo sistema desenvolvido pela Horizon Unmanned Systems: um drone movido a células de combustível de hidrogênio. Segundo a empresa, a ideia surgiu ao perceberem que os drones atuais possuem uma estrutura oca. “Nós agora somos capazes de usar esse espaço para, no lugar de ar, enchê-lo com um gás útil, que é o hidrogênio”, explicou Taras Wankewycz, diretor gerente da empresa.

Com isso, a autonomia de voo de um drone poderia aumentar drasticamente. Sem peso extra algum, por exemplo, um Hycopter (um protótipo de drone apresentado pela Horizon que utiliza células de hidrogênio) é capaz de voar em torno de 4 horas com uma carga. E mesmo com até 1 kg, o aparelho ainda se mantem em voo por até duas horas e meia.

É claro que há muitos fatores a considerar aqui, no entanto, como o custo de recarga de um dispositivo que utiliza uma bateria comum e outro que utiliza tais células. Da mesma maneira, o drone da Horizon ainda está em estágio de testes e só deve ser colocado a prova no fim do ano. Ainda assim, é bom saber que os drones dos próximos anos podem ser capazes de voar por mais de meia hora (e sem precisarem de mais três horas de carga para voltarem à ativa).

Cupons de desconto TecMundo: