Parece inevitável que cada vez mais tenhamos que conviver com drones sobrevoando as nossas cabeças, então, o ideal é que eles sejam capazes de evitar problemas como colisão com outros equipamentos voadores ou mesmo aqueles originados de falhas mecânicas. No que depender da NASA, este último item será evitado graças à nova tecnologia Safe2Ditch, desenvolvida pela agência espacial dos EUA.

Em suma, a nova tecnologia torna um drone capaz de identificar problemas mecânicos durante a sua operação. Além disso, a Safe2Ditch permite também que a aeronave não tripulada encontre o melhor lugar para realizar um pouso em segurança para evitar danos após tomar conhecimento da falha.

A agência espacial quer que a sua tecnologia permita a popularização com segurançde de drones autônomos, ou seja, operados sem qualquer interferência humana. Segundo a NASA, isso é capaz de poupar custos, algo essencial para o uso de drones em larga escala.

Esquema de funcionamento da tecnologia Safe2Ditch, da NASA.

Autônoma, discreta e inteligente

A tecnologia seria embutida nos sistemas de cada aeronave autônoma para funcionar como um “gerenciamento emergencial para fazer o veículo pousar em segurança no caso de um problema crítico inesperado”. Ao identificar a situação, a Safe2Ditch faz uso da bateria restante no equipamento e também da sua autoridade de controle para encontrar o melhor trajeto até a localização segura mais próxima para realizar o pouso.

Mas e em casos onde uma colisão é inevitável? Aí, a nova tecnologia da NASA combina algoritmos com dados sobre a área sobrevoada e sobre o manuseio de aeronaves com dano a fim de calcular o local de colisão que gerará o menor impacto possível. E tudo isso sem qualquer interferência humana.

Cupons de desconto TecMundo: