Na última segunda-feira (24), a cidade de São Paulo ganhou um reforço tecnológico em seu patrulhamento de segurança: os cada vez mais populares drones. A apresentação do projeto foi feita pelo prefeito João Doria e pelos secretários municipais José Roberto Rodrigues de Oliveira (Segurança Urbana) e Daniel Annenberg (Inovação e Tecnologia). A ideia é que cinco equipamentos desse tipo auxiliem a Guarda Civil Metropolitana (GCM) em operações específicas de vigilância na capital.

Tanto os drones quanto 15 kits com câmeras para a empreitada foram cedidos pela iniciativa privada, sem gerar custos diretos para o município. A doação de equipamentos ao município – estimada em cerca de R$ 650 mil – foi feita pela fabricante chinesa Dahua Technology em parceria com a empresa PGIDB. Adicionalmente, a companhia Airobotics deve doar R$ 150 mil em serviços de suporte e consultoria – indo de atividades de capacitação operacional a apoio estratégico.

Um dos drones doados para o projeto

Os equipamentos devem monitorar locais de difícil acesso

De acordo com um comunicado oficial sobre o tema, os equipamentos serão customizados para integrar o programa “Dronepol”, criado para monitorar locais de difícil acesso, casos de ocupações em áreas ambientais ou de risco e eventos com alta concentração de participantes – como protestos, passeatas ou shows ao ar livre. "Os drones serão fundamentais em diversas atuações, tanto da Defesa Civil quanto da GCM", diz José Roberto Rodrigues de Oliveira.

Segundo ele, “a ideia é capturar imagens difíceis de obter para avaliar áreas de risco, em especial durante os períodos de chuva, e possibilidade de escorregamento. Outras partes importantes do monitoramento serão analisar áreas de proteção ambiental e contribuir para ações dos guardas em parques municipais”.

Olhos no céu

Os equipamentos que vão sobrevoar os céus da capital paulistana parecem estar prontos para o trabalho duro. Um dos drones, fabricado pela chinesa Dahua Technology, por exemplo, é fabricado em fibra de carbono ultraleve, pesa cerca de três quilos e pode atingir uma velocidade de até 54 km/h. O dispositivo possui alto-falantes para transmissão de avisos e instruções e câmeras de alta definição – tradicionais ou térmicas.

A autonomia de voo desses brinquedinhos é de cerca de 35 minutos. Depois que esse tempo acabar, o aparelho é programado para retornar à base com segurança, seja em casos de bateria fraca ou de perda de sinal. Embora o clima em São Paulo não seja tão extremo, o gadget tem capacidade de voar sob temperaturas extremas que vão de -20ºC a 60ºC.

Os outros quatro drones que compõem o pacote, por sua vez, são da mundialmente famosa DJI, pesando 1,3 kg cada e tendo capacidade de voar até 30 minutos com uma carga da bateria. Esses modelos são equipados câmeras capazes de gravar vídeos em resolução 4K acopladas a estabilizadores de imagens e atingem velocidade máxima de 72 km/h – podendo voar a até 7 km de distância do transmissor.

A assessoria da Dahua diz ainda que os kits com câmeras da marca podem ser instalados facilmente nas viaturas e nas fardas dos guardas-civis. Esses dispositivos armazenam vídeos e áudios junto com as coordenadas geográficas dos agentes durante o patrulhamento e podem transmitir essas informações pela internet. E aí, curtiu o reforço da prefeitura paulistana? Deixe seu comentário sobre o assunto mais abaixo.

--

E se o TecMundo fizesse eventos presenciais para discutir os temas mais interessantes relacionados a tecnologia? Cadastre-se no TecSpot e saiba tudo em primeira mão!

Cupons de desconto TecMundo: