Redmi K40S vaza com Snapdragon 870 e tela OLED de 120 Hz

1 min de leitura
Imagem de: Redmi K40S vaza com Snapdragon 870 e tela OLED de 120 Hz
Imagem: Xiaomi/Redmi
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Um novo vazamento surgiu na rede social chinesa Weibo nesta semana indicando que a Xiaomi pode estar preparando o lançamento do Redmi K40S. O suposto novo modelo sucederia o Redmi K30S, um topo de linha voltado para o custo-benefício, apresentando o Snapdragon 870 como processador, tela OLED de 120 Hz e câmera principal de 50 MP.

Publicado pelo proeminente informante Digital Chat Station (@DCS), o rumor sugere que o Redmi K40S chegará ao mercado com uma tela de 6,7" no formato plano e resolução de 2400x1080 pixels. Neste caso, a aplicação do componente difere dos demais modelos com tela OLED, que costumam possuir bordas curvas — visualmente mais atraentes, porém mais suscetíveis a danos graves.

Redmi K30S se destaca entre os topos de linha com LCD; tecnologia deve ser substituída por OLED. (Fonte: iGeek Phone / Reprodução)Redmi K30S se destaca entre os topos de linha com LCD; tecnologia deve ser substituída por OLED. (Fonte: iGeek Phone / Reprodução)Fonte:  iGeek Phone 

Neste contexto, a suposta troca da tecnologia LCD pela OLED para a tela do Redmi K40S pode ser um ponto negativo para alguns fãs da linha. Seu antecessor, Redmi K30S, foi considerado o melhor modelo da categoria com um display de cristal líquido, contando com uma taxa de atualização de 144 Hz e processador Snapdragon 865+.

Por outro lado, enquanto é eficiente ao tratar de custo-benefício, o LCD tende a possuir menor contraste e fidelidade de cores se comparado ao OLED — que também possui seus pontos negativos, como o maior custo de implementação e possível efeito burn-in. Todavia, com o enorme sucesso de vendas da família Redmi K40, a Xiaomi pode estar preparando a nova versão como uma atualização discreta, mas que conseguiria captar novos usuários ainda mais exigentes.

A Xiaomi ainda não emitiu um pronunciamento sobre o caso.