Samsung pode dispensar sensor ultrassônico em flagships de 2020

1 min de leitura
Imagem de: Samsung pode dispensar sensor ultrassônico em flagships de 2020
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

A Samsung pode deixar de usar o sensor ultrassônico de impressões digitais da Qualcomm em seus próximos smartphones. Essa é a opinião do analista da Samsung Securities, Lee Jong-wook, em uma reportagem do The Korea Times.

Quando a Qualcomm anunciou seu 3D Sonic Sensor, em dezembro de 2018, ela o promoveu como um sistema conveniente, seguro e de extrema confiabilidade. No entanto, desde aquela época, o sistema já mostrava sinais de vulnerabilidades acima da média.

De acordo com uma fonte local anônima, a Samsung optou pelo sensor ultrassônico mesmo sabendo que ele poderia apresentar falhas de segurança. O fato é que a empresa sentia necessidade de inovar neste segmento, e os Galaxy S10 e Note 10 foram os primeiros smartphones a trazer a tecnologia para o mercado.

Agora, devido à falha de segurança de outubro, considerada grave pelo setor corporativo, é possível que tanto a Samsung quanto outras fabricantes de celulares optem por não adotar o sensor 3D.

Fonte: YouTube/Jonathan Morrison/Reprodução

Falha de outubro “manchou imagem” da Samsung

A segurança se tornou fundamental na fabricação de smartphones, uma vez que esses dispositivos têm sido cada vez mais usados em transações financeiras e na manutenção de informações sensíveis.

Em outubro, uma falha no sensor ultrassônico dos Galaxy S10 e Note 10 permitia que qualquer pessoa desbloqueasse a tela dos aparelhos bastando aplicar uma película de proteção qualquer, não certificada pela Samsung.

A companhia lançou uma atualização que corrigiu o erro, mas alguns bancos ao redor do mundo alertaram a população sobre o risco de segurança nesses celulares, o que pode ter prejudicado a reputação da Sammy nos setores financeiros e de segurança.

Segundo Jong-wook, a empresa optar por usar sensores ópticos tradicionais, as empresas locais que fornecem esse tipo de componente podem ser beneficiadas.

Até o momento da publicação da reportagem, a Qualcomm da Coreia do Sul não havia se manifestado sobre o assunto.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Samsung pode dispensar sensor ultrassônico em flagships de 2020