Redmi Note 7S entra em combustão e Xiaomi dá resposta inesperada

1 min de leitura
Imagem de: Redmi Note 7S entra em combustão e Xiaomi dá resposta inesperada
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Parece que voltamos para 2016 e um dispositivo com Note 7 no nome voltou a protagonizar manchetes em que entra em combustão. Desta vez, porém, o caso não está ligado à Samsung: um cliente da Xiaomi disse que seu smartphone Redmi Note 7S começou a pegar fogo inesperadamente. A vítima, o indiano Chavhan Ishwar, relatou a situação no Facebook e contou que recebeu uma resposta inesperada da fabricante do dispositivo.

De acordo com o consumidor, o produto foi comprado na loja Flipkart no dia 1° de outubro, mas o caso de combustão só aconteceu um mês depois, no dia 2 de novembro. "Enquanto eu estava no meu trabalho com o celular na mesa, um cheiro de queimado apareceu com fumaça", explica Ishwar na rede social. "Descobri que a fumaça estava vindo do meu smartphone".

(Fonte: Chavhan Ishwar/Facebook)

Segundo mostram as imagens do aparelho queimado, o foco do incêndio possivelmente foi a bateria do dispositivo, mas o estrago foi tão grande que o usuário e até mesmo funcionários de um centro de manutenção da Xiaomi não conseguiram retirar o chip de telefonia de dentro da carcaça queimada. Segundo explica o cliente, a única forma de tentar contornar o problema foi enviar o Redmi Note 7S de volta para a fábrica da empresa chinesa.

Resposta inesperada

Após enviar o Redmi Note 7S para diagnóstico na fábrica da Xiaomi, Chavhan Ishwar recebeu uma resposta, no mínimo, inesperada. A empresa rejeitou o dispositivo por apresentar "marcas de queimadura anormais que danificaram a área para consertar a bateria". Ou seja, a companhia disse que não pode arrumar o celular porque o dispositivo queimou de forma severa.

(Fonte: Chavhan Ishwar/Facebook)

Após receber a resposta atravessada, o cliente entrou em contato novamente com a empresa e recebeu mais um retorno desagradável. Segundo Ishwar, um atendente da empresa disse por telefone que a "bateria não é coberta na garantia" do smartphone. "Se meu celular explodir/queimar por causa da bateria defeituosa após um mês de uso, eu sou responsável por isso?", questiona o usuário no Facebook.

Até o momento, a Xiaomi não comentou o assunto, mas como esse é a primeira grande história de um Redmi Note 7S queimando desde o lançamento do aparelho em maio, tudo indica que o caso é isolado e os usuários do celular não precisam se preocupar.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Redmi Note 7S entra em combustão e Xiaomi dá resposta inesperada