Mi MIX Alpha não renderá um tostão à Xiaomi

1 min de leitura
Imagem de: Mi MIX Alpha não renderá um tostão à Xiaomi
Avatar do autor

Depois de dois anos e um investimento de pouco mais de US$ 70 milhões, a Xiaomi apresentou ao mundo seu smartphone-conceito Mi MIX Alpha. Tudo nele foi impactante: o design do display, que cobre 180% do corpo do celular, a câmera tripla de 100 MP, o suporte a 5G e o preço (esse, realmente de tirar o fôlego) de cerca de R$ 11,7 mil. Mas o novo celular não é para todos: somente cem unidades serão produzidas, e a empresa não espera ganhar um centavo com ele.

Segundo o CEO da Xiaomi, Lei Jun, o objetivo da empresa ao lançar um celular-conceito é subverter a ideia de que se tem de um smartphone. Os engenheiros da Xiaomi já confirmaram que a produção em massa do Mi MIX Alpha é impraticável, por conta do custo e da mão de obra envolvida.

O CEO da Xiaomi, Lei Jun, apresenta o Mi MIX Alpha em Pequim. (Fonte: Xiaomi/Divulgação)

“O Mi MIX Alpha não é um celular com tela dobrável, nem com tela dupla face, nem um telefone com tela em cascata, mas um dispositivo conceitual que representa a forma dos futuros smartphones”, disse Lei Jun. O presidente e fundador da Xiaomi, Lin Bin, já confirmou que a empresa investirá mais US$ 1,41 bilhão em pesquisa e desenvolvimento de futuros celulares.

O display do novo smartphone levantou dúvidas sobre a viabilidade de se ter um celular em que a ideia de usar uma película de vidro para proteger a tela soa ridícula. Lin Bin respondeu a essa questão dizendo que “o Mi MIX Alpha usa o mesmo princípio que outros smartphones com tela dobrável, mas ele está à frente do que se conhece sobre glass bonding. Em dezembro, quando o Mi MIX Alpha for lançado, ele virá com essa tecnologia – o resultado final será muito mais bonito do que se usássemos o usual plástico para telas dobráveis.”

***

Quer dominar qualquer aparelho celular e se sobressair no mercado? Saiba mais aqui.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Mi MIX Alpha não renderá um tostão à Xiaomi