Review Galaxy Note 10+: o melhor smartphone da Samsung vale o preço?

12 min de leitura
Imagem de: Review Galaxy Note 10+: o melhor smartphone da Samsung vale o preço?
Essa não é uma matéria patrocinada. Contudo, o TecMundo pode receber uma comissão das lojas, caso você faça uma compra.
Avatar do autor

Galaxy Note 10+ é o smartphone de ponta mais avançado que a Samsung lançou esse ano – deixando de lado o Fold, já que ele vem com uma proposta bastante diferenciada. Os novos celulares trazem muitas coisas em comum com os S10, o que inclui uma opção com tamanho menor, mas, mesmo sendo bem parecidos, trazem várias pequenas melhorias. Será que isso é o suficiente para você encarar o investimento elevado para comprar um desses no lugar de outras opções? É que vamos agora no nosso review.

Prós
  • Desempenho, câmeras e tela excelentes
  • Bateria com boa duração
  • S Pen cheia das bruxarias
  • Software ágil e cheio de recursos
  • Boas opções de cores
Contras
  • Preço proibitivo
  • Sem entrada P2 para fones
  • Edição nativa de vídeos corta final de arquivos

A tela continua ótima

O visual dos Note 10 e 10+ mantém a identidade quadrada da família, mas com o refinamento dos traços modernos que chegaram na família S10. A tela de 6,8 polegadas é enorme e tem resolução Quad HD, o que garante bastante detalhamento. No modelo menor, esses pontos caem para 6,3 polegadas e Full HD, o que ainda é muito bom.

Seja como for, o painel continua sendo o AMOLED Dinâmico, que consegue atingir um preto muito profundo, tem contraste e cores excelentes, é compatível com HDR10+ e tem brilho excelente para usar mesmo sob sol forte – ou seja, não é sem razão que ele é considerado um dos displays de maior qualidade entre os dos smartphones atuais. Só ficaria melhor se tivesse taxas de atualização maiores.

Samsung Galaxy Note 10+ review

O buraco na tela para a câmera frontal agora está centralizado, para a alegria de quem tem TOC, e continua não me incomodando na hora de jogar ou ver vídeos. Ele meio que desaparece no canto no olho.

Corpo bem construído

Os vidros curvados na frente e atrás do aparelho se encaixam muito bem com a carcaça de alumínio, sem incômodos para a pegada. No entanto, tratando-se de um aparelho desse tamanho, acho que nem preciso falar que usar com uma mão só não é muito viável na maior parte do tempo, ainda mais porque ele é bem liso.

As cores disponíveis para ambos os modelos da família são preto ou o Aura Glow, que no site da Samsung tá descrito como prata, mas aqui eu prefiro falar que ele é de todas as cores, ou da cor de um CD antigo, ou de óleo misturado com água... Enfim, é uma cor muito bonita, mas é um verdadeiro espelho também e atrai muitas marcas de dedo. Além disso, uma opção em branco será disponibilizada no futuro próximo com exclusividade para a versão de 512 GB do Note 10+.

Samsung Galaxy Note 10+ review

Os Notes continuam tendo certificação IP68 de resistência a água e poeira, além de proteção Gorilla Glass 6 nos dois vidros. Mesmo assim, eu ainda usaria uma capinha se fosse você.

Adeus, fones P2

O botão dedicado da Bixby foi embora, e agora você consegue ativar a assistente segurando a tecla de energia do lado esquerdo, abaixo das de volume – não é a minha preferência, mas você acaba se acostumando com essa posição. Na parte de cima não há alto falante, mas o som sai através do vidro para chamadas. Para mídias e jogos, esse alto falante funciona em conjunto com o que fica virado para baixo, emitindo som estéreo de qualidade boa e com um volume forte.

Na parte inferior fica um slot para a S Pen e um conector USB-C. Os Note 10 estão entre os primeiros top de linha da Samsung a não ter entrada P2 para fones de ouvido. Pelo menos, hoje em dia já existem opções acessíveis de fones de ouvido Bluetooth, e a coreana inclui fones intrauriculares de boa qualidade da AKG com conexão USB-C na caixa. Não é o ideal, mas quebra um galho.

Samsung Galaxy Note 10+ review

Desempenho ótimo, como esperado

Por dentro, o Note 10+ vem com o processador Exynos 9825, 12 GB de RAM e opções com 256 ou 512 GB de armazenamento. No modelo menor, a versão de 512 GB não existe e o total de RAM é 8 GB, o que no papel é uma grande diferença, mas no uso cotidiano é difícil de notar – ao menos nos primeiros meses. Uma coisa que a RAM extra garante é que ele consegue carregar apps rápido e os manter abertos no plano de fundo por bastante tempo.

Apenas no modelo 10+ existe a opção de usar o segundo espaço da bandeja para expandir a memória com um cartão micro SD. Isso é triste para quem realmente precisa de muito espaço no celular, mas não é tão grave para a maioria das pessoas, uma vez que 256 GB já é bastante coisa.

Samsung Galaxy Note 10+ review

Seja como for, o fato é que o desempenho do celular é excelente. Ele é ágil para tudo e roda qualquer jogo que você quiser sem problemas, mesmo com todas as configurações no máximo. Nada a reclamar por aqui, como esperado. Por fim, vale citar que ele tem WiFi 6 para conexão wireless rápida com roteadores compatíveis, mas nada de modelo 5G no Brasil por enquanto.

Benchmarks

Para ver como o Samsung Galaxy Note 10+ se sai em comparação com seus principais concorrentes, o aparelho foi submetido a quatro aplicativos de benchmark. Os testes utilizados foram o AnTuTu Benchmark 7.0, o Geekbench 4, o 3DMark (Slingshot Extreme) e PCMark (Work 2.0).

Galaxy Note 10+ AnTuTu

O app AnTuTu 7.0 permite testar interface, CPU, GPU e memória RAM dos dispositivos. Os resultados são fornecidos individualmente e somados para gerar uma pontuação total. E aqui vale a máxima para os pontos: quanto mais, melhor.

Galaxy Note 10+ Geekbench

O Geekbench 4 realiza testes intensivos para medir o desempenho tanto de núcleos individuais quando do conjunto da CPU, além de permitir mensurar a capacidade da GPU do aparelho para tarefas graficamente intensivas. Novamente, aqui temos um caso em que pontuações maiores são sinônimo de resultados superiores.

Galaxy Note 10+ 3DMark

O 3D Mark oferece uma série de testes para benchmark de smartphones. Entre eles, o Slingshot Extreme permite comparar diretamente entre processadores e GPUs. A resolução do display é um fator que pode afetar o resultado. Quanto maior a pontuação, melhor o desempenho.

Galaxy Note 10+ PCMark

O PCMark mensura o desempenho do celular durante tarefas comuns de produtividade, como navegação na web, edição de vídeos e fotos e trabalho com documentos e dados em geral. Assim como nos outros casos, totais de pontuação maiores significam resultados melhores.

Software liso e bruxarias com a S Pen

O Android 9.0 Pie vem de fábrica com a mesma interface OneUI dos outros aparelhos recentes da Samsung, e isso inclui a experiência ágil de uso, comandos por gestos esquisitos da coreana se você quiser substituir os botões virtuais de navegação, Bixby com comandos de voz em inglês e alguns outros idiomas – ainda sem data para receber suporte ao português –, recursos extras do Samsung Pay, pasta segura e tudo mais. Tudo que existia no S10 e no A80 está de volta aqui, somado aos benefícios adicionais da S Pen.

Assim como no Note 9, a caneta funciona como controle remoto Bluetooth para a câmera, só que agora ela não serve apenas para abrir o app e tirar fotos. É possível fazer gestos no ar com a caneta enquanto aperta o botão para mudar entre os modos da câmera e controlar o Zoom, o que é bem legal para quem viaja sozinho com um tripé, por exemplo, ou para apoiar em uma estante do outro lado da sala e tirar uma foto com a família e os amigos. Também é possível usar esses gestos para controlar reprodução de mídia, mas nesse caso achei mais fácil simplesmente esticar o braço e tocar na tela.

Samsung Galaxy Note 10+ review

Para mim, o recurso mais legal da S Pen aqui está relacionado com as anotações. Você não só continua podendo escrever com a tela apagada ao tirar a caneta do celular, mas consegue converter o texto manuscrito em letras digitadas quando tocar nas anotações salvas no aplicativo Notes. E isso funciona muito melhor do que eu esperava, já que o celular consegue entender até os meus garranchos sem problemas. A única situação que pode ser um pouco difícil é no caso de a sua letra ser como a do nosso cinegrafista, que escreve a letra R parecendo um N e coisas do tipo – mas aí eu nem consigo culpar o software.

Edição de vídeos e modo DeX

A Samsung também ressaltou que a família Note 10 vem com capacidades de edição de vídeos, e isso realmente está presente. No entanto, esse recurso basicamente permite apenas cortar trechos de um vídeo e depois usar várias gravações ou pedaços cortados para montar um só. Além disso, pelo menos para mim, o resultado final dos cortes acabava engolindo uma fração de segundo do final do material original. Quem quiser algo mais preciso e rebuscado para edição no smartphone ainda terá que usar o Premiere Rush ou outro aplicativo de terceiros.

O modo DeX continua incluso para quem quiser ligar o Note a um monitor, mas o celular ainda vem sem o adaptador ou cabo HDMI. Uma novidade é a possibilidade de utilizar um cabo USB para ligar o celular a um computador e usar o DeX por lá depois de instalar um programa na máquina, transformando o seu computador em um... computador. Isso de fato proporciona a vantagem de ter seus arquivos e programas no smartphone disponíveis para uso em qualquer PC, tanto direto do smartphone quanto transferindo de uma máquina para a outra com o mouse – e você ainda pode acessar celular normalmente enquanto isso se quiser.

Samsung Galaxy Note 10+ review

Câmeras excelentes

O Note 10+ vem com quatro câmeras na traseira. O sensor principal tem 12 MP, estabilização ótica e lente com abertura variável. O segundo tem 12 MP, abertura de f/2.1, lente telefoto para zoom ótico de duas vezes e também conta com OIS. O terceiro tem 16 MP, abertura de f/2.2 e vem com uma lente ultrawide de 123º. Por fim, o quarto sensor é um Time of Flight e serve para melhorar a detecção de profundidade para os efeitos de desfoque do fundo em fotos e vídeos – no caso do Note 10 menor, tudo é igual exceto pela ausência do ToF.

Com esse conjunto, o Note 10+ consegue tirar fotos muito boas tanto de dia quanto de noite, e os resultados são bastante detalhados, nítidos e com cores vivas em todas as lentes. As lentes ultrawide e telefoto mostraram um pouco mais de ruído no escuro, mas ainda assim o resultado ficou legal – e usando o modo noturno, a granulação visível diminuiu mais um pouco.

O sensor Time of Flight realmente ajuda na definição do objeto das suas fotos para garantir que somente o fundo fique desfocado, e ainda é possível ajustar a intensidade do desfoque ou adicionar efeitos diferentes. Além dos retratos, esses recursos também estão funcionando para vídeos tanto na câmera frontal quanto na traseira, e o resultado fica legal com ou sem movimento, o que me surpreendeu.

Selfies, vídeos e rabiscos

Sobre a câmera frontal, o sensor tem 10 MP e abertura de f/2.2. Com ele, as fotos em lugares bem iluminados continuam muito legais, com bom detalhamento e definição, mas com um processamento que tende a deixar a pele das pessoas um pouco mais branca. De noite, o resultado natural ainda é razoavelmente bom, mas os ruídos são visíveis e o detalhamento cai. Usar a tela como flash melhora a definição e reduz a granulação, mas não as deixa perfeitas. O modo noturno tende a ficar tremido nas selfies, então não é recomendado.

Nos vídeos, o Note 10+ consegue gravar em 4K a até 60 quadros por segundo com estabilização ótica, o que já dá um resultado muito legal em situações de pouco movimento. No entanto, quem quiser pode ativar o recurso “super estável” para conseguir uma força extra que realmente ajuda a dar aquele efeito suave de câmera de ação para as gravações. Isso limita a resolução máxima a Full HD, mas a qualidade continua ótima.

Entre os recursos extras de software, vale dizer que os Notes continuam tendo câmera lenta em Full HD e Superslow em HD, além dos MeMojis, modo Pro e algumas outras funções padrão. Uma novidade aqui são os Rabiscos AR, que permitem usar a S Pen para fazer desenhos e fixá-los na cara das pessoas ou em lugares específicos do ambiente. Isso é divertido, mas a menos que você seja um verdadeiro artista, é só mais uma curiosidade legal que logo perde a graça.

Bateria das boas

O Note 10+ vem com uma bateria de 4.300 mAh – e consegue render bastante com isso. Com uso moderado, ficando só nas redes sociais, streaming de músicas via Bluetooth, um ou dois vídeos assistidos e tirando uma foto ou outra, consegui chegar ao final do dia com cerca de 30% de carga sobrando. Incluindo em torno de 2 horas extras de jogos online, acabava tendo que me controlar no final do dia, mas ainda era capaz de passar sem recarga.

Só tive que usar o carregador durante a tarde nas vezes em que realmente passei a manhã inteira usando o celular para fotografia, vídeos, jogos e GPS praticamente sem parar. No caso do Note 10 menor, a bateria tem 3.500 mAh, então conseguiríamos saber se o resultado é parecido apenas depois de alguns dias de testes.

Samsung Galaxy Note 10+ review

Precisando da recarga, o carregador de 25 Watts incluso na caixa dá um bom caldo. Em meia hora, ele conseguiu levar o Note 10+ de zero a 65%, completando a recarga em aproximadamente 1 hora e 10 minutos.

Esse modelo maior do celular dá suporte a um carregador de até 45 Watts, então quem quiser gastar mais para comprar o acessório da Samsung poderá recarregar o celular ainda mais rápido. Uma pena que o modelo menor não é compatível com esse extra. Além disso, tanto a recarga rápida sem fios quanto o Wireless Powershare que vimos no S10 continuam presentes, o que é interessante para quem tem fones ou relógios ou amigos que precisam de uma forcinha e têm smartphones compatíveis com o padrão Qi de carregamento por indução.

Extras

O sensor de digitais dos Notes 10 e 10+ fica embaixo do vidro na frente do aparelho e usa a mesma tecnologia ultrassônica utilizada nos S10. Esse recurso continua com uma velocidade okay e consegue acertar a leitura na maioria das vezes, com uma taxa de falhas que não chega a incomodar.

Samsung Galaxy Note 10+ review

Vale a pena?

Aqui no Brasil, o Galaxy Note 10 está sendo vendido oficialmente por R$ 5,3 mil à prazo, enquanto o 10+ custa R$ 6 mil no modelo com menos armazenamento e R$ 6,8 mil na versão com mais espaço interno. Pagando à vista, todas as opções têm 10% de desconto.

Quem me conhece sabe que eu jamais recomendaria pagar tudo isso em um smartphone, não importa se ele é ótimo – até porque todo mundo sabe que dentro de alguns meses um modelo mais novo será lançado, as promoções começarão e os preços dos Notes ficarão bem mais interessantes. Além disso, levando em conta os top de linha mais antigos, os rivais de outras marcas, os intermediários de ótima qualidade ou até os importados, não faltam opções muito competentes que não estão longe em qualidade e custam menos que a metade.

Samsung Galaxy Note 10+ review

Tirando essa importante ressalva do caminho, não podemos negar que o Note 10+ é um aparelho extremamente competente e agradável, então quem tiver o dinheiro e o desapego necessários para comprar um provavelmente será muito feliz com ele – ainda mais se você tiver conseguido aproveitar a promoção de pré-compra, que inclui o Galaxy Watch Active e a base de recarga wireless dupla da Samsung sem custos adicionais.

-----

E aí, o que você achou do Galaxy Note 10+? Mande a sua opinião e dúvidas remanescentes nos comentários. Você pode entrar em contato comigo pelo perfil @leobrjor no Instagram ou Twitter. Confira os links com os melhores preços atuais para os dispositivos da família Note da Samsung a seguir.

Opções de compra

***

Quer dominar qualquer aparelho celular e se sobressair no mercado? Saiba mais aqui.

Cupons de desconto TecMundo:

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Review Galaxy Note 10+: o melhor smartphone da Samsung vale o preço?