Huawei Mate 30 terá Android, mas fica sem Gmail, YouTube, Maps e Play Store

1 min de leitura
Imagem de: Huawei Mate 30 terá Android, mas fica sem Gmail, YouTube, Maps e Play Store
Avatar do autor

O lançamento do Mate 30 deve ser um divisor de águas dentro da história da Huawei: é o primeiro celular a chegar ao mercado sob os efeitos da inclusão da empresa na lista negra do Departamento de Comércio dos EUA. O maior estrago é o fim da utilização do Google Mobile Services – isso significa que ele não terá aplicativos como Gmail, YouTube, Maps ou Drive, nem terá a Play Store instalados de fábrica.

A Europa representa para a empresa um grande problema. Por lá, a participação da gigante chinesa caiu 24,9% no primeiro trimestre deste ano e 19,3% no segundo, segundo dados da Counterpoint Research. No mercado europeu, considerado chave pela Huawei, os aplicativos Google só podem ser usados sob licença paga (não há taxa de licenciamento fora da Europa).

"A Huawei usará o Android se o governo dos EUA permitir. Caso contrário, continuaremos a desenvolver nosso próprio sistema operacional", declarou o porta-voz da Huawei, Joe Kelly. Analistas e executivos da fabricante, porém, estão céticos de que o HarmonyOS seja uma alternativa viável.

Mate 30 chega ao mercado com Android mas sem Google Mobile Services (Fonte: Weibo/ Reprodução)

O HarmonyOS pode ser usado em TVs, smartwatches e PCs (o Windows ficará de fora, se a Huawei não sair da lista negra) e em celulares. Sem a Play Store, os usuários ficarão restritos à AppGallery, a loja de apps da Huawei. Ali, é possível encontrar apps populares (inclusive do Google), como Facebook, WhatsApp e Deezer. Porém, Netflix, Spotify, Evernote, iFood e Telegram não estão disponíveis.

A nova linha de smartphones será alimentada pelo chipset Kirin 990. O anúncio será feito no próximo dia 6 de setembro por Richard Yu, o principal executivo de Consumo da companhia chinesa, durante a IFA 2019, em Berlim.

O Kirin 990, desenvolvido pela HiSilicon, unidade de chips da Huawei, teve como base a série de processadores ARMv8 da britânica ARM Holdings, empresa que cortou as relações com a Huawei após a proibição dos EUA. A gigante chinesa, porém, já anunciou que detém a licença perpétua da série ARMv8 e os chips baseados nela, incluindo o Kirin 990.

O lançamento do Mate 30 deve acontever em um evento em Munique, na Alemanha, no próximo dia 18 de setembro.

***

Quer dominar qualquer aparelho celular e se sobressair no mercado? Saiba mais aqui.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Huawei Mate 30 terá Android, mas fica sem Gmail, YouTube, Maps e Play Store