iPhone 11 vai ter 3 modelos com chip A13 e novo motor háptico

2 min de leitura
Imagem de: iPhone 11 vai ter 3 modelos com chip A13 e novo motor háptico
Fonte: 9 to 5 Mac
Avatar do autor

Como já é de costume, a Apple vai lançar sua nova linha de iPhones no último trimestre de 2019. A empresa ainda não revelou detalhes sobre os novos aparelhos, mas pessoas que já tiveram contato com os protótipos dos celulares conseguiram mais informações sobre o que podemos esperar dos novos iPhones.

Seguindo o que já foi feito anteriormente, serão três modelos de iPhone 11, ainda sem nomes confirmados. Cada um deles vai servir como um “herdeiro” da linha lançada no ano passado. O modelo ainda conhecido como D42 vai substituir o iPhone Xs; o D43 fica no lugar do iPhone Xs Max; e, finalmente, o N104, que pode ser considerado um “novo” iPhone Xr.

A Apple não vai trazer entrada USB-C nos novos iPhones, e eles devem continuar como antes, com entrada Lightning

Os modelos D42 e D43 vão ter tela OLED Retina, enquanto que o N104 vai trazer display Liquid Retina, o mesmo da geração atual. Suas resoluções, no entanto, serão a mesma entre os diferentes modelos.

Ao contrário do que se especulava, a Apple não vai trazer entrada USB-C nos novos iPhones, e eles devem continuar como antes, com entrada Lightning. O processador dos aparelhos vai ser o A13, da própria Apple, que é internamente conhecido por seu codinome Cebu, modelo T8030.

Motor háptico

Como o recurso 3D Touch não vai mais pintar nos novos iPhones, a Apple vai estrear um novo motor háptico que ainda é conhecido pelo codinome leap haptics. Ainda não há muitos detalhes sobre a capacidade desse novo motor háptico, mas acredita-se que ele deve trazer melhorias para o Haptic Touch, recurso que já existe no iPhone Xr.

Os modelos que devem substituir o iPhone Xs e o Xs Max vão trazer uma câmera com três sensores ordenados na forma de um quadrado na parte traseira do celular

Câmeras

Os modelos que devem substituir o iPhone Xs e o Xs Max vão trazer uma câmera com três sensores ordenados na forma de um quadrado na parte traseira do celular. O espaço restante do quadrado deve trazer uma lente capaz de registrar imagens em wide-angle.

Esse sensor extra, chamado Smart Frame, traz uma ferramenta que é capaz de capturar a área ao redor da imagem emoldurada — tanto em fotos quanto em vídeos — de modo que o usuário consiga acertar o enquadramento ou executar correções automáticas de perspectiva e de corte.

Em termos de câmera de selfie, serão poucas melhorias, entre elas a possibilidade de gravar vídeos em 120 quadros por segundo com o sensor frontal.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
iPhone 11 vai ter 3 modelos com chip A13 e novo motor háptico