Imagine um gadget capaz de compreender em qual estado emocional você se encontra a partir da varredura de padrões no seu jeito de falar. É mais ou menos isso que a Amazon vem aprontando com o que seria uma espécie de “Alexa de pulso”, em um wearable que teria alguma proximidade com os alto-falantes inteligentes Echo.

A notícia vem de uma fonte do Bloomberg, que revisou documentos internos da companhia de Jeff Bezos e descobriu um software de voz da assistente digital da empresa desenvolvido pela divisão de hardware Lab126. Esse dispositivo teria integração com app para smartphone e microfones “que podem discernir o estado emocional do usuário a partir do som de sua voz”.

alexaFonte: Pixabay

E como isso funcionaria? Bem, ao que parece, essa tecnologia daria “conselhos” para que você possa interagir de forma mais eficaz com outras pessoas — ou seja, ela seria capaz de compreender o que sente em um momento de tensão para te acalmar, por exemplo.

Dispositivo seria uma forma de ampliar o ecossistema da Alexa

O Lab126 já criou o Kindle, o Fire Phone e o próprio smart speaker Echo, que introduziu a Alexa mundo afora. Além do “wearable conselheiro”, o grupo estaria desenvolvendo um robô doméstico. A ideia é construir um ecossistema para a assistente digital — o autômato para lares seria uma forma de aumentar a mobilidade do sistema e o dispositivo vestível viria para ampliar as possibilidades de software e hardware com a consciência dos consumidores.

Biomarcadores atuais já conseguem sugerir estados de agitação apenas com avaliação da voz

A noção de um gadget capaz de “medir emoções” não chega a ser assim uma viagem tão grande, até porque os atuais biomarcadores conseguem sugerir certos estados de agitação, por exemplo. Embora conseguir um diagnóstico preciso dos sentimentos de uma pessoa seja algo ainda muito difícil de implementar, certo mesmo é que a Amazon vem explorando com mais profundidade o aprendizado de máquina e o deep learning de sua base de dados com voz.

Não espere ver esse aparelhinho por aí tão cedo — e há até mesmo a possibilidade dele nunca chegar ao mercado. Mas não se surpreenda também se a companhia anunciá-lo em um futuro breve. E aí, o que achou desse gadget?