A Microsoft anunciou que irá encerrar o suporte de aplicativos e serviços relacionados à sua pulseira fitness Microsoft Band. O mesmo fim terá o Dashboard Microsoft Health, plataforma que armazena informações, como: número de passos diários, calorias gastas e batimentos cardíacos. A previsão é que os ambos não estejam mais disponíveis em 31 de maio de 2019. Com a decisão, usuários ainda poderão baixar os dados armazenados até esse período.

Apesar dessa notícia, a companhia afirmou que vai oferecer um reembolso parcial para quem tiver comprado o Microsoft Band, desde que ele esteja com seu prazo de garantia válido. Ainda terá acesso ao benefício quem tiver dados sincronizados no Microsoft Health entre 1° de dezembro de 2018 e 1° de março de 2019.

Os valores poderão variar de acordo com a geração do dispositivo, assim donos do Microsoft Band poderão receber 79,99 dólares, enquanto donos do Microsoft Band 2 terão 175 dólares de volta. A própria Microsoft irá enviar um e-mail àqueles que tiverem direito ao reembolso. Na época de seu lançamento, esses aparelhos podiam ser comprados por cerca de 200 e 250 dólares, respectivamente.

Fonte: Microsoft.

A primeira versão da pulseira inteligente foi anunciada pela Microsoft em 2014, e contava com sensores de coração, passos e calorias. Ela ainda oferecia funções inteligentes, como recebimento de chamadas e mensagens, além de integração com a Cortana. Com o intuito de explorar mais werables de fitness e de saúde, a Microsoft permitia que o aparelho funcionasse de forma integrada com o Dashboard do Health em dispositivos Windows Phone. Mais tarde, esse recurso já poderia ser acessado em apps para iOS e Android.

Em 2015, a companhia anunciou o Band 2, última versão da pulseira inteligente, que apresentava melhorias, como tela curva e design mais confortável. Adiante, rumores apontavam que um Band 3 estaria a caminho, mas seu protótipo foi cancelado pela Microsoft, que disse não estar interessada em continuar com a produção da linha da smartband fitness.

Já em 2016, ela anunciou que o Microsoft Band seria descontinuado. Isso, entretanto, não impediu que as pessoas deixassem de usá-lo, especialmente porque os apps relacionados ao dispositivo ainda estavam com suporte ativo.