A SquareTrade, companhia de seguros que cobre, inclusive, smartphones, realizou um estudo para entender melhor os problemas em torno da quebra de telas, um acidente que assola os usuários de celular no mundo todo. Afinal, quem nunca deixou o celular cair sem querer e o visor rachou?

Feita com usuários de smartphones nos Estados Unidos, a pesquisa descobriu quantas telas são quebradas e qual o custo disso para as pessoas. Durante o ano de 2018, mais de US$ 50 milhões de visores foram quebrados e cerca de US$ 3,4 bilhões, ou R$ 12,9 bilhões, foram gastos em reparos.

Destruição em massa de celulares

A quantidade, quando analisada de outra maneira, é assustadora: são 5.761 telas de smartphones quebradas POR HORA nos Estados Unidos. Dentre as pessoas que sofrem um acidente desse, 65% optam por continuar usando seus celulares com o visor quebrado mesmo.

A maneira mais comum de quebra é, obviamente, a queda do aparelho da mão até o chão

A maneira mais comum de quebra é, obviamente, a queda do aparelho da mão até o chão, mas também são consideráveis os números de pessoas que os deixam cair do bolso, na água, de cima da mesa ou mesmo dentro do vaso sanitário.

A empresa mostra que as telas quebradas, as baterias defeituosas, os problemas com touchscreen e os visores riscados somaram até 66% dos danos em smartphones no ano de 2018.

Cupons de desconto TecMundo: