Não é a primeira vez que uma empresa tenta alterar resultados de benchmark para beneficiar a imagem de seus dispositivos. No mês passado, foi a Huawei, que trapaceou para mostrar um desempenho melhor de seus aparelhos, incluindo a dupla P20 e P20 Pro. Agora, a Oppo chegou a ser removida da lista da 3DMark por também realizar essa prática.

Quando detectamos que o usuário está executando aplicativos como jogos ou Benchmarks 3D, que exigem alto desempenho permitimos que o SoC seja executado em velocidade máxima para a melhor experiência possível

Segundo foi revelado pela UL Benchmarks, a desenvolvedora desse teste, os dispositivos da Oppo foram programados para detectar o aplicativo da 3DMark na Google Play Store e realocar automaticamente recursos do aparelho para enganar o programa de avaliação de desempenho, dando a eles uma nota mais alta do que realmente receberiam se funcionassem normalmente.

Valores alterados

Para descobrir a farsa, a UL Benchmark testou os dispositivos da Oppo usando uma versão privada do 3DMark e a verdade veio à tona: os smartphones Find X e F7 estavam demonstrando resultados até 41% maiores do que a realidade na versão pública do teste, mesmo usando o mesmíssimo aplicativo.

“Quando detectamos que o usuário está executando aplicativos como jogos ou Benchmarks 3D, que exigem alto desempenho permitimos que o SoC seja executado em velocidade máxima para a melhor experiência possível”, afirmou a Oppo. Porém, não era o que estava acontecendo. A Oppo admitiu que estava programando os dispositivos para alterarem seu funcionamento especificamente com o uso do 3DMark, mas o aumento de performance dos aparelhos era dirigido apenas para alterar os resultados do teste, pois em nenhuma outra ocasião os smartphones têm condições de funcionar daquela maneira, mesmo quando são mais exigidos.