De acordo com informações do Cult Of Mac, os iPhones que a Apple pretende lançar em setembro de 2018 podem contar com uma autonomia de bateria até 40% melhor. Mas isso não quer dizer que a Maçã está preparando smartphones mais grossos, com baterias de capacidade incrementadas. Em vez disso, a melhoria seria toda responsabilidade do novo chipset da Apple, o A12.

Esse conjunto de processador, GPU e outros chips de comunicação e performance deve ser fabricado no processo de 7 nm, consideravelmente menor que o de 10 nm usado pelo A11 Bionic que a empresa apresentou junto com o iPhone X. Essa escala nanométrica representa a distância entre os transistores dentro do chip, deixando menos espaço não utilizado e miniaturizando os componentes.

O chip deve ganhar mais desempenho e perder menos energia com dissipação de calor

Com isso, o chip deve ganhar mais desempenho e perder menos energia com dissipação de calor, o que também melhora o consumo de energia. Além da melhoria de 40% na autonomia de bateria, o chip ainda deve contar com 20% a mais de desempenho, o tornando ainda mais rápido que o atual chipset da empresa.

O A12 deve ser fabricado exclusivamente pela TSMC em Taiwan, mas é improvável que ele seja o primeiro chip de 7 nm mobile do mundo, sendo que o Snapdragon 855 deve ser apresentado na IFA 2018 e também será fabricado nesse mesmo processo. A Apple, contudo, deve trazer seus novos iPhones com o A12 para o mercado já em 2018, enquanto o Snapdragon 855 da Qualcomm só deve aparecer no início de 2019 com o suposto Galaxy S10  da Samsung. Agora só nos resta saber qual deles vai se sair melhor nos benchmarks.

Cupons de desconto TecMundo: