A Samsung não anda muito feliz com o desempenho do Galaxy S9, o modelo menos vendido da linha Galaxy S de todos os tempos, com resultados piores do que os do Galaxy S3, até então último do ranking nesse quesito. Em consequência disso, a companhia viu recentemente o seu principal modelo ser ultrapassado pelo rival iPhone.

Para piorar, companhias chinesas estão crescendo de forma vigorosa e já começam a ser vistas como ameaças. Para se ter uma ideia, desde o lançamento do S9, a fatia de mercado da Samsung caiu 0,1% enquanto XiaomiHuawei cresceram 1,6%, acendendo o sinal de alerta em Seul.

Por essas e por outras, Lee Jay Yong, herdeiro do império da Samsung e chefe de fato da empresa que está de volta após alguns problemas com a Justiça, está olhando com atenção para a divisão de celulares da companhia. Segundo o site sul-coreano ETNews, parte dele a decisão de colocar Park Gil-Jae como o novo chefe global de desenvolvimento de hardware da Samsung.

Gil-Jae é conhecido por ser um dos responsáveis diretos pela linha de ponta Galaxy S e também pela intermediária Galaxy A e, agora, assume a posição para redirecionar o foco da Samsung. É inimaginável que a empresa marginalize os esforços em torno do Galaxy S e do Galaxy Note, mas uma das responsabilidades do novo executivo será justamente focar na produção de smartphones de entrada e intermediários.

Galaxy S9Galaxy S9 é o pior modelo da linha Galaxy S em número de vendas.

E parece que a opção por lançar um “Galay S10 Play” seria a primeira grande medida nesse sentido. Assim como a Motorola, a LG, a Huawei e a Apple, a Samsung também apostaria em três versões de seu principal smartphone, garantindo até mesmo um modelo mais simples e mais barato para disputar mercado com quem procura um intermediário de ponta com a pegada do Galaxy S.

Resta saber se esses esforços serão suficientes para a Samsung voltar a ser destaque num setor em que sempre reinou praticamente sozinha — os setores de entrada e intermediário — sem abandonar a briga com a Apple (e também com as rivais chinesas) na ponta.