Samsung Electronics estaria prestes a registrar uma queda no crescimento de sua receita trimestral, reportou a Reuters de acordo com analistas de mercado. A empresa deve liberar em breve seus resultados fiscais para o segundo trimestre de 2018, e a expectativa é de que os números sejam os menores do último ano por conta das supostas vendas ruins do Galaxy S9 e S9+.

Segundo os analistas, o novo top de linha da coreana estaria vendendo menos que seus antecessores Galaxy S8 e S7, o que acaba prejudicando bastante os resultados financeiros da divisão mobile da coreana. A estimativa é de que a Samsung Mobile divulgue  receita de 14,9 trilhões de won, o equivalente a R$ 52 bilhões ou US$ 13,3 bilhões. Esse número representa um crescimento de 5,7%, o que aparentemente é motivo de preocupação para os investidores da coreana.

As funções que os aparelhos móveis da Samsung possuem não são atraentes o suficiente para fazer o consumidor gastar dinheiro neles

Song Myung-sup, analista da HI Investment & Securities, disse à Reuters que o problema da Samsung com o Galaxy S9 tem a ver com um pouco de estagnação da empresa no setor mobile. Enquanto as concorrentes lançaram aparelhos com design exótico e funcionalidades diferenciadas, a companhia se manteve muito próxima do que ofereceu na geração passada de seus top de linha. “As funções que os aparelhos móveis da Samsung possuem não são atraentes o suficiente para fazer o consumidor gastar dinheiro neles”, comentou Myung-sup.

De fato, a coreana focou mais em recursos de software do que de hardware com o S9 e com o S9+. Claro que tivemos a câmera com abertura variável, o que é um avanço até agora exclusivo da Samsung no mercado mobile, mas parece que os consumidores não se impressionaram tanto. Com tudo isso, desde janeiro, as ações da Samsung Electronics acumulam queda de 9%.

Só que que a Samsung Electronics não é composta apenas pela divisão mobile. A empresa também abarca a divisão de chips, que é a de longe a mais lucrativa da companhia no momento. A expectativa dos investidores é de que esse segmento seja responsável por três quartos do lucro operacional da empresa no segundo trimestre do ano, bem como por um terço de toda a receita. Só essa divisão de chips deve trazer 12,5 trilhões de won nesse período, o que representa um crescimento de impressionantes 50% em um ano.