A Xiaomi roubou a cena nesta quinta-feira (31) ao apresentar o Mi 8, com direito a uma incrível versão com traseira translúcida que levou todo mundo de volta aos anos 90. Porém, passada a euforia, algumas pessoas começaram a se questionar se os itens exibidos pelo painel transparentes são, de fato, os componentes que dão vida ao dispositivo.

Pelo Twitter, o moderador do fórum da HTC Chengming Alpert levantou essa possibilidade ainda ontem. Segundo ele, o processador não poderia estar naquela posição porque os demais componentes estão muito longe dele, além de não haver qualquer tipo de tubulação para dissipar calor.

Mi 8

Inicialmente, ele sugeriu que a fabricante colou um adesivo debaixo do vidro, mas voltou atrás. “Outras notícias falam de uma cobertura de plástico 3D dentro do vidro para dar um ar mais realista”, escreveu. “De qualquer forma, [a traseira] não é transparente para mostrar a verdadeira placa-mãe.”

O repórter Richard Lai, do Engadget, conferiu o aparelho de perto em seu evento de lançamento e também cravou que se trata de uma “promoção gratuita para a Qualcomm”, não dos componentes reais do portátil da Xiaomi.

Também no Twitter, Alpert publicou uma captura de tela da descrição do Mi 8 Explorer Edition feita pela própria Xiaomi. O texto, em mandarim, informa que o aparelho “mostra alguns de seus componentes, mas eles não correspondem aos componentes reais”. Em suma, o “processador” que aparece ali é, na verdade, apenas uma forma de promover o Snapdragon que dá vida ao Mi 8 e o próprio aparelho por consequência.

Propaganda enganosa?

Uma primeira olhada sugere que os itens vistos nas costas do Mi 8 translúcido são, sim, os seus componentes reais. Contudo, uma avaliação mais criteriosa deixa claro que tudo não se passa de uma curiosa decoração capaz de agradar alguns e de fazer outros torcerem o nariz para o novo smartphone.

Diante disso, é possível dizer que tudo isso é propaganda enganosa? Não necessariamente. A Xiaomi parece não ter anunciado oficialmente o seu aparelho dessa forma (algo como "você consegue ver os componentes reais do seu smartphone!"), além de indicar na descrição do produto que o conteúdo exibido ali não se trata de seu verdadeiro hardware.

"Para evitar informações equivocadas: não se pode dizer que se trata de uma enganação", escreveu Alpert no Twitter. "Para muita gente, traseira transparente = visão dos componentes internos verdadeiros. Mas o Mi 8 está mais para um peixe dourado de plástico dentro de um aquário", finalizou.

Qual a sua opinião sobre gadgets transparentes e sobre a estratégia da fabricante chinesa para atrair mais atenção para um de seus produtos? Comente aí embaixo.