Parece que o Galaxy S9, último modelo do icônico smartphone da Samsung, não consegue emplacar em vendas na Coreia do Sul. De acordo com informações do The Investor, esse foi o dispositivo que bateu recorde em se tratando de baixa aquisição no país, em comparação com as vendas de seu antecessor, o Galaxy S8. A publicação citou como fonte a ET News, que obteve dados da indústria em caráter exclusivo.

1

Ainda de acordo com essas informações, as três maiores operadoras do país  a SK Telecom, a KT e a LG Uplus — registraram 707 mil unidades vendidas localmente dentro do período de 2 meses pós-lançamento do aparelho. Já o Galaxy S8 conseguiu, dentro do mesmo tempo de avaliação, alcançar a marca de 1 milhão de unidades vendidas. E o desempenho parece cada vez menor: no último mês, a Samsung conseguiu comercializar 231 mil unidades do smartphone  quase metade dos 476 mil vendidos em março.

O principal motivo pode não ser tanto relacionado a preço (apesar de ser um dos itens listados). De acordo com analistas de mercado, a falta de interesse pela nova versão do Galaxy pode ter a ver simplesmente com o fato de que os compradores não veem grandes diferenças entre um aparelho e outro e, portanto, não há motivos para fazer o upgrade. Ou seja, a Samsung terá que apostar em algo realmente diferente para o seu próximo lançamento, se quiser que o mercado se reaqueça para o seu lado.

2

Mas não pense que isso é algo que apenas a Samsung está enfrentando, não: o iPhone X, modelo top de linha da Apple (e que no Brasil está saindo por módicos R$ 7 mil), também não está registrando um grande desempenho no ponto de vista comercial por lá. Nos 4 meses após seu lançamento, em novembro passado, o aparelho da Maçã conseguiu registrar apenas 475 mil unidades vendidas  um número ainda menor do que o de seu concorrente.

3

Nos 2 primeiros meses pós-estreia, o iPhone X vendeu 139 mil e 163 mil unidades, respectivamente em novembro e dezembro. Já em janeiro, o montante caiu para 103 mil, antes de registrar uma queda ainda maior em fevereiro, quando saíram apenas 70 mil unidades. "Considerando que não houve novos lançamentos por concorrentes, incluindo a Samsung, 70 mil unidades vendidas por mês é um número extremamente baixo", disse um funcionário de uma operadora local de telecomunicações, que não quis ser identificado, ao The Investor.