Instagram foi apenas mais um aplicativo conhecido a abandonar o Apple Watch. A rede social de fotos do Facebook se juntou a outros grandes nomes, como Google Maps, Twitter, AmazoneBay e Slack e deixou a plataforma de lado sem dar muitas explicações sobre o assunto. A mudança foi feita através de uma atualização do aplicativo para iPhone e não mereceu nem ser mencionada nos detalhes da nova versão.

Mas por que tantos serviços populares estão desaparecendo do relógio inteligente da Apple? A resposta pode ter relação com as novas exigências da companhia para desenvolvedores de aplicativos do watchOS, o sistema operacional utilizado no dispositivo. A partir desse mês, todos os programas devem usar no mínimo a segunda versão do kit de desenvolvimento do watchOS.

Por que tantos serviços populares estão desaparecendo do relógio inteligente da Apple?

Muitas empresas criaram seus aplicativos quando o primeiro modelo do Apple Watch foi lançado e nunca trabalharam em atualizações. É tanto que a versão do Instagram para o relógio não tirava proveito das novidades que apareceram no watchOS durante esses anos, como a possibilidade de funcionar mesmo sem estar o tempo todo conectado a um iPhone.

Embora elas não deem muitas explicações para isso, é possível que o uso dos aplicativos seja tão baixo que não compense o custo de desenvolvimento das atualizações. Uma possibilidade é que os usuários do Apple Watch prefiram receber apenas notificações no relógio e puxem o smartphone para dar continuidade a atividades que funcionam melhor em uma tela maior, como olhar as fotos publicadas pelos amigos.

Apesar da debandada, o Apple Watch continua firme e forte como líder absoluto do mercado de relógios inteligentes. A empresa já é a maior fabricante de relógios do mundo, sendo responsável por mais da metade das vendas desse mercado. O segmento continuou crescendo, especialmente após a segunda versão, que investiu mais em funções de saúde e monitoramento de exercícios físicos.

Cupons de desconto TecMundo: