Um comerciante brasileiro acaba de se tornar a mais nova vítima de um aparelho celular com defeito, saindo do incidente com queimaduras nos glúteos e mãos (além de um smartphone totalmente destruído). Segundo o G1, o caso ocorreu na manhã de hoje (6) dentro de um supermercado em Santos, quando Victor Alexandre de Oliveira, de 40 anos, e sua mãe Diva Soares Teixeira, de 70 anos, faziam compras.

De acordo com o relato da mãe, Victor começou a gritar de dor repentinamente; foi então que ambos notaram que o celular, guardado no bolso de trás da bermuda do azarado comerciante, estava soltando fumaça. O calor gerado acabou por queimar os glúteos da vítima, bem como sua mão, quando Victor tirou o dispositivo de onde estava.

"Estávamos subindo a rampa do supermercado e ele sentiu queimar. O celular explodiu do nada, não temos a menor ideia do motivo. Não fez nenhum barulho. Percebemos porque saiu até fumaça e queimou. Eu ainda estou muito nervosa, não sei o que vai acontecer com ele. Eu saí de casa para ir ao supermercado e acabei no hospital", contou ela.

Felizmente, esse caso teve um final muito melhor do que poderia. Isso porque Victor foi rapidamente atendido pelo SAMU, por volta das 9h45, sendo levado para a Santa Casa de Santos. Em uma declaração oficial, por sua vez, o hospital comunicou que o paciente sofreu ferimentos leves, com queimaduras de 1° grau e pequenas queimaduras de 2° grau; graças a isso, o comerciante não precisou ser internado e já foi liberado.