Xiaomi quer vender oficialmente seus smartphones nos EUA no final do ano

1 min de leitura
Imagem de: Xiaomi quer vender oficialmente seus smartphones nos EUA no final do ano
Avatar do autor

A Xiaomi é a quarta maior fabricante de smartphones da China e tem conquistado outros países, a exemplo da Índia, do Sudoeste da Ásia e de alguns locais da Europa, especialmente devido às configurações mais poderosas por um preço acessível. Agora, a companhia pretende entrar no mercado norte-americano, onde já é conhecida por suas câmeras, alto-falantes e outros produtos.

“Prentendemos começar a entrar no mercado (dos Estados Unidos) no final de 2018 ou no início de 2019”, afirmou o CEO Lei Jun, em entrevista ao The  Wall Street Journal. A Xiaomi vem tentando penetrar nas Américas e até teve uma passagem pelo Brasil entre 2015 e 2016, contudo, as grandes cifras e mudanças de regras das tributações afastaram a empresa das prateleiras brasileiras.

Para se dar bem com os ianques, porém, a Xiaomi precisa vencer alguns desafios pontuais, como se associar com operadoras de ponta, a exemplo da AT&T e da Verizon — ambas desistiram de contrato com a Huawei por conta da pressão do governo, que suspeita de brechas de segurança nos dispositivos produzidos pelos chineses.

Comentários

Conteúdo disponível somente online
Veja também
Xiaomi quer vender oficialmente seus smartphones nos EUA no final do ano