De acordo com um artigo do Quartz, a Google está rastreando a localização dos usuários de smartphones Android sem permissão para conseguir endereços de torres de celular. A prática já vem acontecendo por 11 meses, e os usuários não podem fazer nada para impedir o uso indevido do GPS e outros métodos de localização de seus dispositivos.

Depois de confrontada pelo Quartz, a Google comentou que finalizará o processo de coleta de dados de localização dos usuários até o fim deste mês de novembro, mas não sabemos se a companhia resolveu tomar essa decisão por ter sido flagrada ou por já ter completado o processo de coleta que pretendia fazer incialmente.

Segundo um porta-voz da Google que falou com a publicação, os dados de localização coletados estavam sendo enviados à empresa por meio do sistema de notificações do Android. Os dados, segundo essa pessoa, não eram armazenados ou usados pela Google para nenhum fim.

Perigos

Seja como for, a situação está sendo considerada perigosa. O fato de os usuários estarem sendo, na prática, rastreados sem terem autorizado ou sem ao menos saberem disso os coloca em risco. Pessoas com altos cargos na polícia, no governo ou em grandes empresas podem ter sua segurança comprometida por conta desse tipo de intrusão. Vítimas de violência doméstica ou testemunhas em processos judiciais delicados poderiam se encaixar na mesma situação.

Isso porque o fato de o smartphone estar enviando a localização dos usuários para a Google sempre que entra em contato com uma nova torre de celular poderia criar alguma brecha de segurança, permitindo que malwares ou outras formas de invasão interceptem a comunicação entre o celular e os servidores da empresa. Felizmente, esses dados são criptografados, o que dificulta um bocado esse tipo de ação.

Atualização - 16h11

Nós entramos em contato com a Google para saber mais sobre a situação e esta foi a declaração da empresa:

"Para garantir que as mensagens e as notificações sejam recebidas rapidamente [pelos usuários], os celulares Android modernos usam um sistema de sincronização de rede que requer o uso de Mobile Country Codes (MCC) e Mobile Network Codes (MNC). Em janeiro deste ano, começamos a usar os códigos de Cell ID dos aparelhos como um sinal adicional para melhorar a velocidade e desempenho na entrega de mensagens. No entanto, nunca incorporamos o número de Cell ID em nosso sistema de sincronização de rede, de modo que os dados são imediatamente descartados, e nós o atualizamos agora para não solicitar mais o Cell ID. O MCC e MNC fornecem informações de rede necessárias para a entrega de mensagens e notificações e estão distintamente separados do Serviço de Localização, que fornecem a localização do aparelho para alguns aplicativos."

Cupons de desconto TecMundo: