Os Animojis foram anunciados juntos do novo iPhone X e são parte importante dessa introdução da Apple no mundo da realidade aumentada. A ideia é, além de divertir os usuários, mostrar um pouco das capacidades da tecnologia TrueDepth da câmera do novo iPhone, que permite mapeamento avançado do rosto de uma pessoa.

Contudo, alguns testes realizados recentemente mostraram que o sensor do TrueDepth não é essencial para se criar um Animoji. É o que mostra o youtuber Marques Brownlee, um dos mais populares na atualidade quando se fala em opiniões e análises sobre dispositivos mobile na web. E ele mostra que os Animojis funcionam quase que sem nenhum problema mesmo quando o sensor em questão está tampado (a partir de 11min40s).

Isso significa que modelos antigos (ou mesmo os novos iPhone 8 e iPhone 8 Plus) também poderiam ser utilizados para criar os emojis animados? Sim. A Apple mesmo confirmou a informação após a análise de Brownlee trazer o assunto à tona. De fato, o iPhone X utiliza os sensores infravermelhos do TrueDepth para criar os Animojis, mas eles não são utilizados em 100% do tempo.

Acontece que o recurso do sensor de profundidade é ativado de tempos em tempos para mapear novamente a face do usuário e manter tudo funcionando com precisão. Isso quer dizer que sim, seria possível usar outros modelos do iPhone para criar os Animojis, porém, eles não fariam isso com a mesma precisão do iPhone X — e foi por isso que a Apple restringiu a funcionalidade apenas à versão mais poderosa do trio lançado em 2017.

“Eu conversei com a Apple sobre o Animoji: ele realmente usa dados de infravermelho e do sensor de profundidade para maior precisão”, escreveu Brownlee em sua conta do Twitter. “A Apple me disse que não gostaria de uma experiência pior com os Animojis em outros iPhones sem esses sensores”, concluiu o youtuber.

Cupons de desconto TecMundo: