As baterias da linha Galaxy Note foram o grande Calcanhar de Aquiles do Note 7, que foi descontinuado após a Samsung não conseguir resolver o problema que as fazia explodirem. Agora, mais dor de cabeça para a sul-coreana: o Galaxy Note 4, modelo lançado em 2014, é o pivô de uma nova situação desagradável.

Devido ao risco de superaquecimento da bateria nesses dispositivos, a 10 mil unidades do aparelho devem ser retornadas à fabricante. A “vantagem” aqui é que, diferente no caso do Note 7, este problema não é uma falha no design do dispositivo, portanto não é generalizado e fica restrito a um lote. Assim, apenas aparelhos remanufaturados por meio do seguro da operadora AT&T e manipulados pela FedEx — em suma, a falha não foi da Samsung.

10 mil unidades do Galaxy Note apresentaram problema na bateria.

Como este modelo do phablet da Samsung conta com a bateria removível, não será muito difícil substituir a peça. O grande problema aqui foi um efeito inesperado da remanufatura que acabou por gerar situações capazes de superaquecer a bateria. Em suma, uma questão importante, mas de fácil solução.

Segundo o site The Verge, mesmo com quase três anos de estrada, todas as 10 mil unidades do Note 4 contempladas neste recall foram vendidas entre dezembro de 2016 e abril de 2017. Como ficou claro, o problema é restrito aos Estados Unidos, então, se você tem um Note 4 por aqui, pode ficar despreocupado.

Posicionamento da Samsung

"Nos Estados Unidos, a FedEx Supply Chain está conduzindo esse recall de baterias Samsung não genuínas. O programa de remodelação foi gerenciado pela FedEx Supply Chain e operado independentemente da Samsung. Qualquer proprietário afetado deve entrar em contato com a FedEx Supply Chain pelo telefone 1-800-338-0163 ou entrar em contato através do site www.exchangemybattery.com para obter mais informações."

Cupons de desconto TecMundo: