Imagine a situação: você sempre foi acostumado a usar iOS, mas por algum motivo optou pelo Android ao adquirir um novo aparelho. Para quem estava habituado a usar um único sistema operacional, a mudança repentina pode ser um tanto estranha, mesmo que ambas as plataformas estejam bem mais parecidas hoje em dia do que em suas primeiras versões.

A questão é que os softwares da Google e da Apple ainda apresentam elementos distintos, o que pode ser decisivo para alguns usuários. Entre aqueles que já possuíam um iPhone e mudaram para o robô verde, os menores recursos  e, consequentemente, os que são usados com menos frequência  talvez sejam o que mais façam falta nessa troca de sistema. Certas funções você pode substituir por aplicativos, mas outras são exclusivas. Veja alguns exemplos.

1. Modo de Leitura no Safari

Vamos supor que você acesse um site pelo seu iPhone ou iPad, mas que a página não tenha uma versão mobile, apenas desktop. Por conta disso, o conteúdo não é adaptado para a tela de um dispositivo menor que o PC, o que acaba comprometendo sua visualização. É aí que entra o Modo de Leitura, um recurso nativo do navegador Safari que comprime os elementos exibidos e deixa apenas o que é essencial, que no caso seriam manchetes, textos e imagens. Também é possível alterar o tamanho e a cor da fonte de acordo com suas preferências.

O Chrome para Android não possui um modo de leitura. Em vez disso, o browser do Google oferece para alguns sites, não todos, a possibilidade de reformatar páginas em formato desktop para uma versão facilitada no celular. Contudo, isso não pode ser ativado manualmente. Vale lembrar que, no que diz respeito às buscas, o Google sempre prioriza endereços que tenham sido adaptados para o mobile. Então, é bem provável que os primeiros resultados se enquadrem nessa categoria.

A solução no Android

Use o botão de "Compartilhar" e envie uma página web para um aplicativo de leitura offline, como Instapaper ou Pocket, que reformula artigos da internet e oferece várias configurações de leitura. Outra alternativa é instalar o Firefox, que possui um modo de leitura embutido e completo, com fontes ajustáveis e modo noturno.

2. Alcançabilidade

Quando a Apple lançou as primeiras versões "Plus" do iPhone, com o iPhone 6, muita gente duvidou se seria uma experiência incômoda utilizar um aparelho tão grande com apenas uma mão, principalmente na hora de alcançar itens no topo da tela. Foi então que a Maçã apresentou uma proposta simples, porém inteligente: Alcançabilidade, uma função que faz com que a parte superior da interface do iOS seja puxada para baixo sempre que você der um toque duplo no botão Home.

A solução no Android

Nenhum modelo atual equipado com Android possui uma opção semelhante. Logo, ela só é encontrada no iOS.

3. Rolagem de tela mais fluida

Quem já utiliza Android há um tempo não deve notar, mas para novos usuários a rolagem de telas na plataforma da Google pode parecer meio confusa se comparada ao iOS: o deslocamento às vezes é muito rápido, mas em outras é travado mais do que o normal. Nesse aspecto, o sofware da Maçã apresenta uma rolagem mais natural.

A solução para a rolagem no Android

Talvez seja questão de tempo até aparecer no sistema.

4. Lupa

Uma das ferramentas originais lançadas pela Apple no iOS é a famosa lupa para textos, que aparece quando se pressiona o cursor sobre um determinado ponto da tela. Ao ampliar uma área específica de texto, a pequena lupa permite que você veja exatamente onde o cursor está, resolvendo outro problema: quando o seu dedo bloqueia a visão do conteúdo.

A solução no Android

Não há como dar zoom em uma única parte do texto; você precisa arrastar o cursor até o ponto desejado. Nesse caso, o jeito é se acostumar, já que a lupa, por enquanto, está disponível apenas no iOS.

5. Criação de eventos simplificada

O Android oferece funções de acesso rápido para diversas tarefas diretamente do Gmail. Na caixa de entrada, por exemplo, é possível rastrear de forma automática os horários de voos programados por você ou informar quando sua encomenda da Amazon foi enviada. Em contrapartida, o serviço de email do Google no Android não permite criar eventos por inbox após digitar uma data e um horário no corpo da mensagem.

Até o momento, isso só existe no iOS. Você pode agendar reuniões e eventos apenas colocando em um email o dia e o horário em que eles vão acontecer. O sistema cria um novo compromisso em seu calendário, com tudo já preenchido  o iOS costumava preencher automaticamente esses dados usando a linha de assunto da mensagem, mas essa característica parece ter sido removida há alguns meses.

A solução no Android

há uma alternativa que pode substituir esse recurso no sistema do Google. Toque no botão "Home" e segure por alguns segundos para habilitar a "Pesquisa Direta", uma função que escaneia a tela atual e procura por nomes, números e outras informações que podem ser guardadas em eventos no calendário.

6. Compartilhamento de fotos via iCloud

Desde que foi lançado, há cerca de dois anos, o aplicativo Fotos, da Google, ganhou inúmeras melhorias que o colocam hoje como um dos melhores serviços do gênero para dispositivos móveis. No entanto, ele ainda não permite que álbuns criados pelo app sejam compartilhados entre amigos e familiares, que por sua vez podem editar, comentar e favoritar as imagens de que mais gostam. No iOS, isso é possível através do iCloud, que ainda emite alertas no iPhone/iPad sempre que novas alterações forem feitas.

A solução no Android

Se você ainda tem em mãos seu iPhone ou iPad, é possível publicar na web um álbum de fotos compartilhado pelo iCloud. Basta abrir o álbum no aparelho, ir na guia "Pessoas" e alterar a privacidade na opção "Site Público" para gerar um link público do álbum. Você só conseguirá visualizar o álbum, seja usando o Chrome ou outro navegador no Android; não será possível comentar ou fazer uploads instantâneos nem receber avisos sempre que novas fotos forem adicionadas.