O consumo geral de energia de um computador tem grande influência por parte do monitor, fato que fica mais claro quando utilizamos aparelhos portáteis, como laptops e netbooks. Ao usar apenas a bateria como alimentação, é fácil perceber que o tempo de funcionamento do eletrônico aumenta quando o brilho de tela é reduzido ou o aparelho é colocado em modo de hibernação após alguns minutos em desuso.

Embora as empresas de tecnologia procurem desenvolver gadgets com hardwares cada vez mais poderosos, a mobilidade é um quesito de grande preocupação das fabricantes. Nesse sentido, quanto mais tempo um dispositivo consegue ficar desconectado da tomada maior é a satisfação do usuário.

Pensando nisso, as organizações investem cada vez mais em pesquisas que ofereçam mecanismos inovadores para economizar energia. A tecnologia que anda ganhando espaço entre as fabricantes de aparelhos eletrônicos é a Panel Self-Refresh (PSR), ou “Autoatualização de Tela”, em uma tradução livre.

Esse recurso da interface de vídeo DisplayPort promete oferecer de 45 minutos a 1 hora a mais de duração das baterias de notebooks. Como ele é capaz de reduzir o consumo de energia? Quais empresas apostam nessa tecnologia? Confira tudo isso e mais detalhes do PSR neste artigo.

O padrão de conexão

Como mencionado, a Panel Self-Refresh é um recurso implementado na versão 1.3 do DisplayPort – uma interface digital de vídeo desenvolvida em 2006. Esse formato de conexão, desenvolvido pela Video Electronics Standards Association (VESA), é um padrão aberto. Isso significa que as empresas que desejam utilizá-lo em seus produtos não precisam pagar royalties (mais um fator que pode alavancar sua adoção).

(Fonte da imagem: Belkin+Abisys/Wikimedia Commons)

A DisplayPort possui uma necessidade de alimentação menor que a de outros padrões, como HDMI e DVI. Enquanto seus concorrentes consomem 3 V, ela não excede os 2 V. Sua resolução máxima é de 3840 por 2160 pixels. Contudo, esse valor pode variar de acordo com o comprimento do cabo e suporte de hardware dos eletrônicos utilizados.

Essa interface ainda possui outros diferenciais, como suporte para cabos com 15 metros de comprimento, atualização de conteúdos a 120 Hz, compatibilidade nativa com cabos de fibra ótica, canais auxiliares para a transferência de dados em paralelo, entre outras vantagens – as quais você pode conferir na tabela abaixo, divulgada no site da DisplayPort.

(Fonte da imagem: DisplayPort)

Como a tecnologia funciona

Em dispositivos comuns, para que os conteúdos que acessamos no computador sejam exibidos, a placa de vídeo precisa encaminhar taxas constantes de dados para o monitor. Esse trâmite de sinais é chamado de Refresh Rate (Taxa de atualização, no nosso idioma) e opera em pelo menos 60 Hz.

Assim, por exemplo, mesmo que um documento permaneça sem qualquer modificação, a GPU precisa enviar à tela as imagens 60 vezes por segundo – um processo que demanda muita energia ao longo do tempo.

O foco da Panel Self-Refresh é atuar exatamente nesse ponto falho da comunicação entre o monitor e a placa de vídeo. Afinal, qual a necessidade de atualizar dezenas de vezes o mesmo conteúdo se ele não teve nenhuma mudança? De acordo com a publicação do site Hardware Secrets, a PSR consiste em desligar a placa de vídeo e os demais circuitos envolvidos nesse processo enquanto o conteúdo permanecer estático.

Por meio da função “Capture Static Frame” (“Captura de Quadro Estático”) do DisplayPort, o monitor acaba ganhando uma memória de vídeo. Ao receber um comando enviado pela placa de vídeo, o monitor captura o último frame exibido e o armazena na memória RAM.

Nesse momento, o PSR entra em ação: desliga os circuitos associados à reprodução de vídeo e mantém o “quadro” gravado aberto na tela. Dessa forma, a apresentação acontece com menor consumo de energia, até que o utilizador realize alguma ação, disparando outro comando para o DisplayPort.

Por exemplo, quando estivermos lendo um e-book ou visualizando uma foto (atividades em que o conteúdo da tela é estático), o último frame exibido é copiado e mantido aberto no monitor. Ao rolar a página do livro virtual ou mudar de fotografia, esses mecanismos da máquina são reativados em alguns milissegundos, retomando as atividades normais do aparelho.

De quanta economia de energia estamos falando?

O potencial de economia da Panel Self-Refresh realmente impressiona. Segundo o Hardware Secrets, ao ser ativada, desligando os circuitos de processamento de vídeo, a tecnologia pode poupar até 50% de energia em notebooks ou netbooks. Além disso, a DisplayPort (que conecta a placa de vídeo ao monitor) também pode ser desligada, fato que permite a economia de mais 25% no consumo geral do eletrônico.

Conforme o artigo citado acima, somada a esses dois valores existe a possibilidade de que a memória RAM seja outro componente que ofereça algum tipo de economia. Isso porque, nas máquinas que possuem placa de vídeo integrada, parte dos recursos desse dispositivo suporta o processo de reprodução de conteúdo na tela.

Assim, enquanto a PSR permanece em operação, a placa de vídeo não precisa se comunicar com a memória RAM. Tal característica ocasiona uma redução de até 10% na demanda energética do equipamento. Com isso, podemos calcular que as tecnologias DisplayPort e Autoatualização de Tela podem poupar até 85% de energia.

Todavia, o especialista em hardware Gabriel Torres adverte: essa taxa não significa que a autonomia da bateria de laptops e outros portáteis aumentará 85%. O dispositivo só alcançará tal economia enquanto o seu hardware permanecer ocioso e o monitor não atualizar o frame exibido. Durante as atividades normais do computador, o seu consumo será o convencional.

Apesar disso, a autonomia das baterias dos gadgets deve ganhar de 45 minutos até 1 hora de duração. É válido ressaltar que os dispositivos que usufruírem dessa tecnologia não precisarão designar chips de memória RAM especificamente para ela, pois sua funcionalidade será integrada ao microprocessador responsável pela decodificação e compartilhamento do sinal do DisplayPort.

Proximidade do mercado

Como você deve ter percebido, a princípio, o grande potencial da Panel Self-Refresh é ser utilizada em computadores portáteis. A Intel é uma das empresas que está de olho nessa tecnologia. Durante a Intel Developer Forum (IDF) 2011, a multinacional apresentou um modelo de monitor dotado com o Embedded DisplayPort (eDP) 1.3 e, consequentemente, tal recurso. Confira no vídeo abaixo, em inglês, a palestra de Mooly Eden, vice-presidente da organização.

O representante da Intel aposta que esse formato será o futuro padrão para os eletrônicos. Nesse mesmo barco, estão a LG Display, a Dell, a AMD, a Lenovo e a Samsung. Apesar de parecer que sua utilização é exclusiva para notebooks, nada impede que a PSR seja empregada em tablets, PCs e outros dispositivos eletrônicos.

A ampliação de seu mercado vai depender unicamente do seu desempenho. Potencial a tecnologia tem, nos resta esperar pelos primeiros gadgets com esse recurso e averiguar se realmente ele valerá a pena.

Cupons de desconto TecMundo: