(Fonte da imagem: Reprodução/Seagate)

Uma das maiores limitações dos discos rígidos que conhecemos está relacionada à densidade máxima que os componentes magnéticos podem oferecer. Mas a Seagate preparou uma nova tecnologia de condensação dos bits que pode levá-la para os livros de recordes rapidamente. Trata-se de um novo método de “Gravação Magnética Assistida por Calor” (HAMR, na sigla em inglês).

Isso permite aos HDs a densidade de até 1 terabit por polegada quadrada. Isso significa que 1 trilhão de bits estão localizados em uma minúscula porção do disco. Segundo nota oficial da Seagate, isso significa que há mais bits nessa área do que existem estrelas em toda a Via Láctea – astrônomos afirmam que há entre 200 e 400 bilhões delas na região.

Ainda não há informações sobre quando a tecnologia HAMR chegará ao mercado, mas a Seagate já afirmou as capacidades de armazenamento que podem ser oferecidas com o sistema. Por enquanto, são apenas 6 TB. No futuro, a densidade pode ser aumentada para 10 TB por polegada quadrada, e a capacidade dos HDs pode chegar a até 60 TB.

O funcionamento da HAMR

A diferença básica entre os discos rígidos criados com mecanismos comuns e os novos Seagate com HAMR está no nanoaquecimento por laser. A alteração nas temperaturas dos componentes do HD faz com que a magnetização também seja alterada. Dessa forma, os dados podem ser codificados, gravados e bloqueados em um bit salvo.

Cupons de desconto TecMundo: