Rodar o país a bordo de um ônibus preparado para longas viagens parece ser algo reservado a astros da música no meio de grandes turnês, certo? Bem, se depender do pessoal envolvido profundamente com as tecnologias da Microsoft, o veículo também serve para levar conhecimento sobre desenvolvimento e infraestrutura a grandes universidades. Esse, aliás, é o grande objetivo do Interop on the Road deste ano, que teve apoio e cobertura do TecMundo.

Nascido dentro da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS) há alguns anos, o encontro permite que alunos e entusiastas dos mais variados setores da informática possam conhecer mais sobre a área diretamente de profissionais gabaritados, que visitam o campus para passar sua experiência e visão sobre o mercado e suas tecnologias. Em 2015, os organizadores resolveram expandir o encontro e zarpar de Porto Alegre até São Paulo.

Segundo André Ruschel, MVP em Windows Expert IT Pro, especialista em interoperabilidade e uma das mentes por trás do evento, a ideia é que o Interop deste ano sirva como um termômetro para a expansão do projeto, preparando o terreno para que a empreitada possa crescer ainda mais. Apesar da expectativa humilde, o investimento foi de gente grande: para ir do Sul ao Sudeste, os palestrantes fixos tiveram como base itinerante um Motor Home com dois andares, cinco quartos e uma sala de reunião.

Assim, no último dia 16 de novembro, o “passeio” começou pela PUCRS, passou pela UNISUL de Palhoça (RS) no dia 18 e seguiu para São Paulo para o episódio final da saga em um dos campi da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP) no dia 21 do mesmo mês – uma viagem nada humilde de quase 5 mil quilômetros de estrada. Para que você possa ter um gostinho do Interop on the Road, nossa equipe acompanhou tanto a abertura do evento no Rio Grande do Sul como o encerramento da jornada na capital paulista. Confira!

Pontapé inicial

O capítulo do Interop on the Road no coração da PUCRS ditou o passo e o formato do encontro encabeçado pelos palestrantes André Ruschel, Claudenir Andrade, Jorge Gerardo Vera, Rafael Felipe Silva, Roberto Finger Fonseca e por outros MVPs e convidados. Para garantir que os visitantes possam se focar nos assuntos mais relacionados a suas áreas de atuação, a organização dividiu o encontro em duas salas com painéis rotativos, mas focados em dois grandes temas: desenvolvimento e Tecnologia da Informação (TI).

Representando a Dell, uma das patrocinadoras principais do evento e participante ativa do campus da faculdade – incluindo uma sede no local –, Roberto Petry foi o responsável pela abertura das atividades logo no início da manhã. Com a atenção do público no auditório, o diretor de TI da companhia de uma breve explicação sobre as atuais dinâmicas do mercado, citando elementos comuns ao cenário internacional e que se tornam cada vez mais próximos do profissional brasileiro, como a TI como produto e a produção cada vez maior de dados.

Dando continuidade ao discurso, Petry também falou sobre o envolvimento da Dell no Brasil e, mais especificamente, no Rio Grande do Sul. Isso porque, além de o país ter sido o segundo a receber um centro de desenvolvimento de software, depois dos EUA, a empresa também foi a primeira companhia a se instalar no Tecnopuc, o Parque Tecnológico da PUCRS. Segundo o executivo, essa estratégia acabou se provando essencial para criar uma tendência que foi seguida por concorrentes e outras pequenas marcas e levou a troca de experiências.

Posteriormente, em entrevista para o TecMundo, ele falou especificamente como a realização de encontros como esse são importantes para a formação de profissionais. “Um evento como o Interop on the Road é uma iniciativa para levar as inovações tecnológicas e discussões que estão sendo feitas nos diferentes grupos de tecnologia para diversas centros”, explicou Petry, que ressaltou ainda o entendimento das oportunidades de carreira no contato direto com palestrantes da própria Dell e de empresas como Microsoft e Daruma.

De acordo com ele, não é raro que visitantes acabem se interessando ainda mais pela área, se candidatem a vagas nessas companhias e voltem às universidades para contar a sua história. Para o diretor de TI, outro ponto importante desse tipo de bate-papo é desmistificar um pouco o setor, mostrando que ele pode ser divertido. Como? Ao provar que, além da necessidade de conceitos matemáticos e lógicos, a tecnologia tem braços abertos para o profissional criativo, principalmente em setores como IoT, mobilidade e “gamificação” de soluções de informática.

Painéis temáticos

Depois da introdução de Petry, a programação seguiu para outras duas salas, com palestras sobre diversos assuntos rolando até o final da tarde. Osvaldo Daibert, evangelista técnico de solução de nuvem e Open Source na Microsoft Brasil, por exemplo, falou tanto sobre como a empresa capitaneada por Satya Nadella tem planos de ser a líder mundial em soluções de código aberto quanto a respeito da Azure Cloud e suas ferramentas para Platform as a Service (PaaS), Software as a Service (SaaS) e Infrastructure as a Service as a Service (IaaS).

Outros dos palestrantes e convidados fizeram painéis relacionados a tecnologia de containers e dockers – com o conceito de “máquinas virtuais que não são máquinas virtuais” –, programação em Java com TypeScript e as possibilidades do processamento e armazenamento na nuvem. O evento recebeu ainda apresentações mais específicas, como a palestra sobre Internet das Coisas de Claudenir Andrade, gerente de desenvolvimento da Daruma, que trouxe demonstrações de placas Raspberry Pi 2 e falou sobre o futuro do recurso.

Bastante descontraído e fazendo uma série de questionamentos para provocar os alunos da universidade, Elemar Jr., Gerente de Pesquisa e Desenvolvimento na Promob, discorreu sobre a importância dos cientistas e analistas de dados – profissões que nem sempre são levadas em conta pelos iniciantes da área de tecnologia. O tema serviu como base para a introdução do Azure Machine Learning, uma ferramenta da Microsoft que visa facilitar consideravelmente o trabalho na criação de fórmulas matemáticas complexas para análise de dados.

Discutindo em SP

Dias depois, em São Paulo, a programação foi semelhante no campus Consolação da PUCSP. Mesmo sendo em um sábado e na emenda de feriado da capital paulista, o estágio final do Interop on the Road reuniu um grande número de estudantes e interessados pelas palestras na instituição de ensino. Vale destacar até o fato de dezenas de integrantes da turma da Comunidade .NET Baixada, no Facebook, terem saído do litoral para virem prestigiar o encontro, preencher as cadeiras dos auditórios e, claro, adquirir novas experiências.

Os destaques no evento do último dia 21 foram as palestras relativas à segurança da informação, abordando desde erros na infraestrutura até falhas humanas e a importância de sistemas de proteção para manter a integridade de dados e processos nos servidores, e como é possível testar soluções cloud através de uma conta gratuita no Azure da Microsoft. Ao fim do dia, palestrantes, equipe de apoio, profissionais da universidade e parte do público se reuniram para tirar uma foto geral e eternizar essa primeira edição itinerante do festival de tecnologia.

Em conversa com André Ruschel e Rafael Felipe Silva, descobrimos que a expectativa para o Interop on the Road de 2016 é ainda maior, já que o evento deve trazer mais atividades e contar com uma leva adicional de patrocinadores de peso, como o Bradesco.  E você, é um entusiasta desse setor? Pretende se aventurar em alguma profissão relacionada à área? Não deixe de conferir o site oficial do encontro de interoperabilidade e fique ligado no TecMundo para mais notícias a respeito da próxima edição da feira.

Evento itinerante discute TI, desenvolvimento e oportunidades para o profissional de tecnologia no Brasil. Comente sobre a empreitada no Fórum do TecMundo!

Cupons de desconto TecMundo: