Assim que a Microsoft anunciou seus novos aparelhos portáteis e híbridos (Surface Book e Surface Pro 4), muitos especialistas começaram a cogitar que a companhia de Redmond estava investindo contra suas próprias parceiras. Isso aconteceu porque os dispositivos "matadores" estariam oferecendo tantos ou mais recursos que os vistos nos principais computadores com Windows 10 atualmente. Para deixar tudo mais potente, ainda contam com design arrasador e um SO "feito para eles".

No entanto, de acordo com a Dell, essa ameaça não é real. Durante a conferência de imprensa que abriu a Dell World 2015, o CEO Michael Dell foi questionado acerca da possível indisposição que a Microsoft teria causado com seus novos dispositivos, mas disse que ela não existe. De acordo com o executivo, a Dell e a Microsoft são parceiras de décadas e a chegada de um aparelho ou dois não será suficiente para derrubar qualquer conexão.

O CEO ainda lembrou que os aparelhos das duas companhias (e de outras concorrentes) são essenciais para que exista a criação de um ecossistema forte o bastante para atrair mais consumidores - lembrando que o mercado de PCs não enfrenta bons momentos há anos. Vale dizer também que a Microsoft é uma grande cliente das soluções de TI e Big Data da Dell e esse fornecimento certamente é mais forte  do que a influência de um aparelho.

XPS 12 (da Dell) ao lado do Surface Book (da Microsoft)

Com tudo isso, Michael Dell deixou bem claro: a Microsoft é uma grande parceira e o Surface Book não vai afetar os relatórios fiscais da Dell. Na conferência, o executivo também foi muito questionado acerca de detalhes sobre a aquisição (ainda não concluída) da EMC. Muito ainda não pode ser revelado, mas ele foi bem claro ao dizer que as equipes de integração já estão trabalhando duro para que todo o  processo seja suave aos consumidores.

O TecMundo viajou ao Dell World 2015 a convite da Dell

Cupons de desconto TecMundo: