John Mcafee é um brilhante PhD em Matemática e fundador de uma das maiores empresas de antivírus do mundo. Entretanto, ele também é considerado lunático e dependente de drogas, o que faz dele uma das figuras mais excêntricas do mundo da tecnologia. Conheça um pouco mais sobre essa lenda.

17. Uma infância complicada

John é filho de um pai alcoólatra e apanhava com frequência junto com sua mãe. Quando ele completou quinze anos, seu pai se suicidou com um tiro. Em entrevista à revista Wired, o gênio disse que sua vida era uma droga.

16. Inteligência acima da média

Na época da faculdade, Mcafee começou a mostrar o seu talento, se revelando um homem extremamente inteligente e com bom faro para negócios. Ele se formou com brilhantismo em Matemática e teve a oportunidade de trabalhar como um dos programadores da NASA.

15. Problemas com drogas

Mas ele sempre enfrentou problemas com drogas. Em 1983, consumia cocaína em grandes quantidades, vendendo o excedente pros seus colegas de trabalho. Dormia na mesa e passava as manhãs bebendo whisky.

14. Confusões no trabalho

Na Northeast Louisiana State College, onde cursava PhD e atuava como professor auxiliar, foi expulso por dormir com uma de suas alunas da graduação. Na Univac de Bristol, no Tennessee, foi demitido após ser preso vendendo maconha. Meses depois, sua esposa também o abandonou.

13. O nascimento da Mcafee

John decidiu que alguma coisa precisava ser feita quando ouviu a notícia de que dois irmãos haviam criado no Paquistão aquilo que poderia ser considerado o primeiro vírus de computador. Com pouco investimento, ele reuniu alguns colaboradores e fundou a Mcafee Associates.

12. Presente nas maiores companhias americanas

O plano inicial de Mcafee era distribuir o antivírus gratuitamente. A propaganda boca a boca fez com que o software chegasse às grandes empresas e, em 1981, um relatório divulgado pela Forbes mostrou que todas as cem maiores empresas dos Estados Unidos usavam seu programa. Com a cobrança de um pequeno licenciamento, o faturamento chegou a cinco milhões de dólares ao ano.

11. Pânico e bolsa de valores

Em 1982, Mcafee causou um grande pavor coletivo divulgando na mídia sobre o vírus Michelangelo. O objetivo, claro, era vender mais licenças, o que de fato aconteceu. Coincidência ou não, no mesmo ano a empresa abriu seu capital na bolsa de valores, e o seu valor bateu os oitenta milhões de dólares.

10. Vendendo tudo

Um ano antes de a Mcafee ser vendida para Intel por quase oito bilhões de dólares, o matemático teve um surto e se desfez de tudo o que tinha, incluindo suas mansões no Havaí, Texas, Novo México e Colorado, seus carros luxuosos e até seu jato particular.

9. Isolamento total

Após se livrar dos seus bens, John comprou um grande terreno em meio a uma floresta de Belize, um pequeno país da América Central, e lá se refugiou em um bangalô sem acesso à internet, para surpresa de muita gente.

8. Vírus reais

Mcafee namorava a microbiologista Allison Adonizio, que fazia pesquisa com antibióticos quando teve uma epifania e decidiu eliminar também os vírus reais. Assim, ele construiu um laboratório para ela. Allison vendeu tudo o que tinha para firmar sociedade com John.

7. Procurando confusão

Caminhando por becos e ruas sujas de Belize, John conheceu um bordel chamado Lover’s, e o dono do estabelecimento apresentou a ele uma garota de dezesseis anos chamada Amy. Em menos de trinta dias, eles já estavam dormindo juntos.

6. Tentativa de assassinato

Amy tentou matar Mcafee devido ao relacionamento conturbado, mas desistiu na hora de puxar o gatilho. Eles terminaram o relacionamento, mas o matemático acabou comprando uma casa para garota.

5. Entre policiais e traficantes

Ciente dos perigos de Belize, Mcafee resolveu equipar os policiais da região com armamento pesado, munição e veículos. Não satisfeito, ele mesmo colocou uma pistola na cintura e foi às ruas conversar com traficantes. para muitos oferecia TVs de LED em troca da promessa de que eles largariam o tráfico.

4. “Breaking Bad” da vida real

Mcafee armou um exército particular e decidiu que ele mesmo iria mexer com química em seu laboratório particular. Embora tenha dito que estava pesquisando antibióticos, a suspeita é de que ele estivesse produzindo metanfetamina, substância controlada e que pode provocar alucinações.

3. Diversificando os negócios

No local onde morava, John criou uma fábrica de cigarros, uma companhia de distribuição de café e um serviço de táxi marítimo. O governo de Belize o acusou de montar um exército privado e traficar drogas na região. Uma força de elite local, chamada Belize Gang Supression Unit, treinada pelo FBI, invadiu a sua casa e encontrou munição pesada e muitas garrafas de substâncias químicas desconhecidas.

2. Sr. Mcafee e suas cinco mulheres

Depois de ser solto mediante fiança, ele voltou pro seu bangalô onde morava com cinco mulheres, todas com idades entre dezessete e vinte anos. O matemático passou a ser procurado pela polícia local sob a suspeita de ter assassinado o seu vizinho. Foragido, ele foi preso na Guatemala e deportado pros Estados Unidos.

1. Direitos sobre a história de vida vendidos

Mcafee criou em torno de si uma história digna de um blockbuster hollywoodiano. Aliás, ele tem tanta certeza disso, que vendeu os direitos sobre a história de sua vida para Warner, que deve produzir em breve um longa-metragem sobre a sua trajetória. 

Cupons de desconto TecMundo: