(Fonte da imagem: Reprodução/Sindicato dos Metalúrgicos de Sorocaba e Região)

Devido a discordâncias entre o sindicato que defende os trabalhadores da Flextronics e as entidades patronais — em vários termos que remetem à participação nos lucros da empresa —, cerca de 80% dos funcionários da montadora de componentes eletrônicos abandonaram seus postos para aderirem à greve na unidade de Sorocaba da empresa — as fábricas de Jaguariúna e Zona Franca de Manaus continuam operando normalmente.

São cerca de 3 mil (de um total de 3,8 mil) colaboradores da Flextronics Sorocaba estão parados. A expectativa é de que eles só retornem ao trabalho quando o sindicato conseguir negociações mais interessantes referentes ao Plano de Participação nos Resultados — que nos termos atuais daria apenas R$ 2.100  para cada um dos trabalhadores da fábrica paulista.

Em comunicado oficial, a Flextronics afirma que a atual proposta mostra “transparência” com que são tratados os resultados da empresa. A empresa — que é responsável por parte do abastecimento de componentes da IBM e também da HP — também afirma que nenhuma entrega será atrasada por conta da paralisação.

[Atualizado]

Na manhã desta terça-feira, cerca de 600 trabalhadores voltaram a seus postos e isso faz o sindicato acreditar que a greve seja totalmente interrompida ainda hoje. Segundo informado pelo G1, o sindicato afirma que os funcionários do primeiro turno eram os mais resistentes às propostas da Flextronics. Como eles aceitaram os novos termos, acredita-se que os outros também o façam.

Cupons de desconto TecMundo: